Comité Olímpico esclarece mudança de cor da água da piscina

É a primeira vez em 24 anos, desde os Jogos de Barcelona, que a piscina de saltos é ao ar livre

A água da piscina de saltos dos Jogos Olímpicos mudou de cor e ficou verde devido à presença de algas. É esta a explicação da organização, citada pela imprensa brasileira.

Mário Andrada, porta-voz do Comité Organizador da Rio-2016, explicou que houve uma proliferação inesperada de algas no local, uma problema que se agravou rapidamente por causa dos ventos fortes na região do Parque Aquático Maria Lenk, em Jacarépaguá.

É a primeira vez em 24 anos, desde os Jogos de Barcelona, em 1992, que a piscina de saltos é ao ar livre. Isto significa que o controlo do ambiente é mais difícil: a água está exposta à luz do sol, por exemplo, que ajuda a diminuir o efeito dos desinfetantes - sobretudo num tanque em que a água é mantida a uma temperatura superior, o que favorece a proliferação de micro-organismos. Além disso, a água da piscina de saltos é muito menos mexida.

A organização assegura ainda que o problema será resolvido e que esta quarta-feira a água da piscina de saltos voltará a parecer azul.

A mudança foi evidente durante a prova de mergulho sincronizado feminino a 10 metros, na terça-feira, em água verde que contrastava claramente com o azul claro da vizinha piscina do polo aquático.

Embora inicialmente não tenha sido apresentada uma explicação, o comité garantiu que foram feitas análises e que não havia qualquer risco para a saúde dos atleta. Na terça-feira, os saltadores negaram qualquer impacto no seu desempenho.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG