Revolução no Estrela da Amadora. Presidente da SAD renunciou

André Geraldes pediu renúncia ao cargo em divergência com a estratégia dos novos investidores... que ainda não foram oficializados. Nove jogadores, Team manager, diretor do scouting e até o chefe de segurança acordaram rescisão.

Uma verdadeira revolução no Estrela da Amadora. André Geraldes, informou esta quinta-feira que pediu a renúncia ao cargo de presidente da SAD do Estrela da Amadora, da II Liga, alegando "diferenças estratégicas internas" e "possível entrada de novos investidores". Ao que o DN apurou um grupo de investimento indonésio comprou parte da SAD tricolor.

"No entendimento do dirigente, não estavam reunidas as condições de trabalho internas necessárias, pelo facto de existirem as tais diferenças internas, assim como estavam longe de serem criadas, ao dia de hoje, condições para lutar por uma subida [de divisão]", pode ler-se, depois do 14.º lugar na tabela classificativa no final da II Liga.

Com André Geraldes, saem "vários elementos da estrutura, que o acompanham por opção dos mesmos, uma vez que não se identificavam com o modelo de governance que o clube pode tomar". No comunicado enviado à agência Lusa, e ressalvado que o dirigente, que ressuscitou o clube da Reboleira aos campeonatos nacionais salvaguarda "o direito de preferência numa eventual venda da SAD, através de possíveis parceiros ou investidores trazidos por este".

Geraldes entrou no clube em 2020, depois de sair do Sporting, quando os sócios do Clube de Futebol Estrela da Amadora, extinto em 2011, aprovaram uma fusão com o Sintra Football e a criação de uma SAD, passando a chamar-se Club Football Estrela da Amadora SAD. Levou a equipa das distritais para o Campeonato de Portugal, tendo, logo na primeira temporada, garantido a subida à II Liga, na qual se conseguiu manter esta temporada.

Com 35 anos, André Geraldes iniciou a carreira como diretor executivo do Sporting, entre 2013-14 e 2015-16, tornando-se diretor desportivo nas duas épocas seguintes. Em 2018-19, tornou-se administrador da SAD do Farense, na qual permaneceu durante dois anos, até assumir a pasta de presidente da SAD do renovado Estrela da Amadora.

Agora sai em divergências com os novos investidores, um dia depois da rescisão contratual do team manager Filipe Leão, do secretário técnico, José Barreto, do diretor de segurança, Ricardo Fernandes, e do diretor de scouting, Martim Prates. A semana tinha começado com as rescisões dos jogadores Tiago Melo e Edu Duarte e a saída de sete jogadores que terminavam contrato e não renovaram: Miguel Rosa, Reko, Nuno Hidalgo, Diogo Santos, Lubega, Fabrício Simões e Afonso Figueiredo.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG