Arthur Hanse e Kequyen Lam são os representantes portugueses

Arthur Hanse, em esqui alpino, e Kequyen Lam, em esqui de fundo, são os atletas que vão representar Portugal nos Jogos Olímpicos de Inverno PeyongChang 2018, cuja qualificação fechou no final do dia de segunda-feira.

A representação lusa ainda pode ter um terceiro participante, caso Hugo Alves, no luge, venha a ser repescado, mas este cenário é "pouco provável", segundo explicou à agência Lusa o Chefe de Missão lusa e também presidente da Federação de Desportos de Inverno de Portugal (FDIP), Pedro Farromba.

Arthur Hanse, de 24 anos, reside em França e esteve presente na edição anterior, em 2014, em Sochi, na Rússia, enquanto Kequyen Lam, antigo snowboarder de 38 anos, que passou a competir em cross country, nasceu em Macau e vive no Canadá.

As qualificações terminaram na segunda-feira e a expectativa do apuramento de Hugo Alves, residente no Japão, no luge, e de Christian Oliveira, luso-australiano a residir nos Estados Unidos, no snowboard, não se concretizaram, mas o chefe da missão lusa à competição que se realiza na cidade sul-coreana de PyeongChang, entre 9 e 25 de fevereiro, mostra-se satisfeito.

"Estou satisfeito, porque mantivemos o número de atletas que levámos a Sochi 2014 e, pela primeira vez, participamos em duas modalidades diferentes. Estivemos à beira de conseguir levar mais dois atletas, mas o desporto é mesmo assim. O Christian e o Hugo estiveram muito bem", frisou à Lusa Pedro Farromba.

O dirigente adianta ser ainda possível a repescagem de Hugo Alves, embora considere a hipótese "pouco provável", pois isso só acontecerá se existirem baixas ou se alguns países ultrapassaram as quotas que lhe são atribuídas, sendo que, na lista de suplentes, há 11 atletas à frente do português.

Pedro Farromba sublinha que Christian Oliveira tem apenas 18 anos e "muitos anos e muito trabalho pela frente para poder fazer mais e melhor", enquanto, no caso de Hugo Alves, trabalha-se para que o atleta possa treinar com maior assiduidade.

"Temos aqui boas indicações para o próximo ciclo olímpico, desde que tenhamos o necessário apoio para o conseguirmos", realça o presidente da FDIP.

Portugal contou desde julho último com 10 atletas no programa de preparação para PyeongChang 2018. Em Sochi 2014, o país esteve representado por Camille Dias e Arthur Hanse, ambos atletas de esqui alpino e residentes no estrangeiro.

A procura de talentos portugueses ou lusodescendentes em zonas onde os desportos de inverno estão disseminados é um caminho que os dirigentes querem continuar a trilhar.

"Estamos a construir a cada dia o nosso caminho. Nestas modalidades, temos de encontrar os melhores portugueses que vivem noutras paragens, com mais neve, para poderem representar o nosso país, sendo que é um caminho que se vai fazendo caminhando. Temos vindo a melhorar os resultados nos últimos anos e tencionamos no próximo ciclo olímpico melhorá-los ainda mais", vincou Pedro Farromba.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG