Presidente da UEFA recusa criação de Superliga europeia

Aleksander Ceferin foi o primeiro orador do Football Talks, depois de Fernando Gomes ter dado as boas-vindas aos participantes

Aleksander Ceferin, presidente da UEFA, garantiu esta quarta-feira que com ele na liderança do organismo não haverá um Superliga europeia que coloque à margem os clubes de ligas menos competitivas.

"Tenho a certeza de que não haverá uma Superliga. Seria uma guerra contra a UEFA. Claro que ninguém o pode garantir, mas enquanto eu lá estiver não haverá Superliga", assumiu Ceferin na zona mista do Football Talks 2017, que decorre no Centro de Congressos do Estoril, deixando a certeza que "todos os clubes têm de ter o sonho de se qualificar para a Liga dos Campeões".

No entanto, não deu a garantia de que seja possível diminuir as diferenças financeiras entre os clubes das cinco maiores ligas europeias e os restantes. "Com o fair-play financeiro estamos a fazer um trabalho muito bom, mas é impossível acabar com todas as diferenças", sublinhou, deixando a certeza que, no entanto, "é preciso haver solidariedade" entre os clubes, embora sublinhe que "não é possível ficar indiferente" ao maior poderio financeiro de alguns clubes.

O presidente da UEFA foi o primeiro orador do Football Talks, depois de Fernando Gomes ter dado as boas-vindas aos participantes, tendo destacado o trabalho desenvolvido na Federação Portuguesa de Futebol (FPF). "Visitei o a Cidade de Futebol, uma magnifica infraestrutura, que me leva a dizer que Portugal pode vir a ganhar os próximos Campeonatos da Europa", gracejou, enaltecendo o facto de a FPF "ter um orçamento inferior ao das principais federações europeias".

Sobre o futuro da UEFA, Aleksander Ceferin destacou o trabalho que está a ser feito no "combate à corrupção", na "promoção da transparência", no "combate à viciação de resultados" e na adoção das "novas tecnologias". Por outro lado, assegurou que a UEFA está atenta à "conquista de novos mercados", que disse ser "uma forma de abrir portas a um mundo de oportunidades" para o futebol europeu, que diz ser "o melhor do mundo".

Mais Notícias

Outras Notícias GMG