Portugal qualifica-se para o Europeu de voleibol ao vencer a Noruega

O campeonato da Europa de 2021 vai decorrer de 1 a 19 de setembro em quatro países diferentes: Polónia, República Checa, Estónia e Finlândia. Seleção feminina não teve a mesma sorte.

Portugal carimbou hoje a sexta presença no Campeonato da Europa de voleibol masculino após vencer, em Matosinhos, a Noruega por 3-0, com os parciais de 25-17, 25-18 e 25-22.

A seleção portuguesa já tinha ficado com pé na fase final da prova, depois de bater a Bielorrússia, por 3-1, na sexta-feira, e, hoje, confirmou o apuramento com novo triunfo no quinto jogo do Grupo G de qualificação, mantendo-se invicto nesta fase.

Portugal dominou este jogo, vencendo de forma clara, e só permitiu algumas veleidades à Noruega no terceiro e último parcial, o único em que os nórdicos lograram comandaram o marcador (6-5 e 16-15).

O primeiro 'set' começou bem para as cores nacionais, que rapidamente ganharam uma vantagem pontual confortável (11-4) que nunca mais perderam graças a um serviço eficaz e um desempenho defensivo seguro

A superioridade portuguesa manteve-se no parcial seguinte, mas de forma menos vincada do que anteriormente porque a Noruega subiu de rendimento e conseguiu dar mais luta em boa medida devido às ações do seu capitão, Jonas Kvalen.

O treinador Hugo Silva apostou forte numa equipa com quatro benfiquistas que foram campeões nacionais esta época, Ivo Casas, Tiago Violas, André Lopes e Hugo Gaspar, deixando de fora alguns titulares, e os resultados deram-lhe razão

Depois de uma vitória clara no 'set' inaugural, Portugal impôs-se também no segundo e chegou aos 2-0, com Hugo Gaspar a destacar-se nas ações ofensivas e a equipa a mostrar-se muito coesa e confiante.

As coisas mudaram muito no terceiro parcial, visto que Portugal baixou de intensidade competitiva e a Noruega aproveitou, arriscou ainda mais e lutou praticamente até ao fim pelo resultado.

Foi neste parcial que os nórdicos conseguiram comandar o marcador por duas vezes e dar até a sensação de que podiam levar o encontro para um quarto 'set'.

O técnico português lançou então Alexandre Ferreira e foi este atacante, com o seu serviço poderoso, e o oposto Hugo Gaspar, com remates colocados, que tiraram Portugal de um aperto inesperado e contribuíram assim para uma vitória por 25-22 e o 3-0 final.

Portugal, que esteve presente nas fases finais de 1948, 1951, 2005, 2011 e 2019, garantiu a vitória no grupo de qualificação, ao somar 14 pontos, mais quatro do que a Bielorrússia, que hoje venceu a Hungria, por 3-1.

O campeonato da Europa de 2021, a 32.ª edição desta prova, vai decorrer de 01 a 19 de setembro em quatro países diferentes: Polónia, República Checa, Estónia e Finlândia.

O melhor resultado luso ocorreu na estreia, em 1948, com um quarto lugar entre seis equipas, seguindo-se um sétimo lugar em 1951, um 10.º em 2005, o 14.º em 2011 e o 20.º de 2019, com a seleção a regressar dois anos depois, pela primeira vez com duas presenças consecutivas, para a sexta participação na prova.

Seleção feminina fica pelo caminho

A seleção portuguesa de voleibol feminino perdeu hoje com a Ucrânia por 3-0, na segunda jornada do segundo torneio de qualificação, em Tbilisi, e ficou pelo caminho na 'corrida' às últimas 12 vagas no Europeu.

Portugal estava obrigado a ganhar para manter vivas as esperanças de qualificação, mas a Ucrânia revelou-se sempre mais forte do que a equipa orientada por João José e, com os parciais de 25-14, 25-13 e 25-13, garantiu a qualificação, a par da Suécia.

Com o triunfo por 3-0, as ucranianas somaram três pontos de classificação, para um total de 10, contra zero das portuguesas, que mantiveram o terceiro lugar, com seis pontos, sem hipóteses de alcançar as rivais, independentemente do que conseguirem no domingo, frente à Suécia, que lidera o grupo.

No primeiro 'set', a seleção portuguesa não conseguiu manter o equilíbrio para além do parcial inicial de 3-3 e, desde cedo, viu a rival do leste europeu a distanciar-se, especialmente num período em que a Ucrânia, com um parcial de 5-0, aumentou a vantagem para nove pontos (17-8), que lhe permitiram gerir até ao 25-14 final.

Cenário idêntico viria a verificar-se no segundo período, no qual as portuguesas conseguiram manter-se na discussão do resultado apenas até ao momento em que o marcador registava 4-4 e as ucranianas começaram, novamente, a 'cavar' um fosso que se alargou com um parcial de 7-0, que aumentou a vantagem ucraniana de 8-6 para 15-6 e praticamente sentenciou o 'set' antes do 25-13 final.

Obrigada a reagir, a seleção portuguesa teve a sua melhor fase no jogo no início do terceiro 'set', onde chegou a conseguir a maior vantagem que teve em toda a partida, de três pontos (9-6), mas dois descontos de tempo pedidos pelo selecionador ucraniano num curto espaço de tempo tiveram o efeito desejado por Vladimir Orlov.

As ucranianas arrancaram, então, para um parcial de 19-4 que não deixou quaisquer hipóteses de reação à equipa portuguesa e colocou um ponto final no 'sonho' de marcar presença na fase final do Euro2021, que decorrerá na Sérvia, Bulgária, Croácia e Roménia, de 18 de agosto a 04 de setembro.

Ana Vale, com 10 dos 31 pontos conseguidos pela seleção esteve em destaque no lado português, secundada por Aline Rodrigues (seis pontos), Maria Lopes (cinco), Julia Kavalenka (três), Amanda Cavalcanti (três), Inês Pereira (dois) e Marta Wurst (dois).

Portugal defronta no domingo a Suécia, às 15:30 (hora de Lisboa), na partida que encerra as contras do Grupo B do apuramento, três horas após a Ucrânia defrontar a Geórgia.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG