Portugal com a terceira maior comitiva de sempre e vários medalháveis

A comitiva portuguesa é composta por 92 atletas, a terceira maior de sempre, depois de Atlanta 1996 (107) e Barcelona 1992 (101).

O atletismo é a modalidade com maior protagonismo olímpico em Portugal, como mostram os quatro ouros da história: Carlos Lopes, Rosa Mota, Fernanda Ribeiro e Nelson Évora. Em Tóquio 2020, as ambições de pódio estão viradas para Pedro Pichardo (triplo salto), Auriol Dongmo (peso), Patrícia Mamona (triplo salto) e os marchadores João Vieira e Ana Cabecinhas.

No judo há pelo menos quatro atletas com aspirações, com destaque para o campeão do mundo Jorge Fonseca e a medalhada olímpica Telma Monteiro. O mesmo cenário se aplica a Fernando Pimenta (canoagem). No total são 92 atletas, a terceira maior comitiva de sempre, depois de Atlanta 1996 (107) e Barcelona 1992 (101).

PEDRO PABLO PICHARDO

Atletismo-triplo salto

Passará Pedro Pichardo (ou alguém) a mítica barreira dos 18 metros? Na história do triplo salto apenas cinco atletas conseguiram tal feito e o luso-cubano é um deles (18,08m, 2015). Chega a Tóquio com a melhor marca mundial do ano: 17,92m. Impressionante, tendo em conta que Nelson Évora foi campeão em Beijing 2008 com 17,67m (este ano ainda não passou das 16 metros). E sem o campeão Christian Taylor (lesionado) tudo fica mais fácil.

AURIOL DONGMO

Atletismo-lançamento do peso

Nascida em Ngaoundéré e devota de Fátima, Auriol escolheu Portugal para seguir a carreira e a evolução tem sido gigantesca! Ainda pelos Camarões, no Rio 2016, lançou 16,99m, marca superada (e de que maneira!) em 2020, ano em que venceu 16 dos 17 eventos e chegou aos 19,53m. Chega a Tóquio como campeã da Europa e com fortes possibilidades de chegar ao pódio. Lijao (20,39m), Ramsay (20,12m) e Saunders (19,96m) são as grandes rivais.

JORGE FONSECA

Judo

O primeiro campeão do mundo do judo português colocou todos os olhares em cima dele depois de se sagrar bicampeão mundial este ano, ganhando todos combates por ippon. Jorge Fonseca saiu do Rio 2016 em lágrimas, depois de eliminado na primeira ronda. Agora assume o sonho e a ambição de ser campeão olímpico na categoria -100 Kg e dar a terceira medalha ao judo português, depois dos bronzes de Nuno Delgado e Telma Monteiro.

TELMA MONTEIRO

Judo

Exemplo de sucesso e superação, Telma Monteiro quer fazer história no judo ao conquistar duas medalhas seguidas. Bronze no Rio 2016, a judoca campeã da Europa aos 35 anos entra em cena no pavilhão Nippon Budokan a 26 de julho. Na quinta participação, Telma só pensa "em ser bem-sucedida" e conta com o apoio dos portugueses para ganhar mais uma medalha. E se alguém já habituou Portugal a subir ao pódio foi ela.

PATRÍCIA MAMONA

Atletismo-triplo salto

Campeã da Europa no triplo salto, Patrícia Mamona é uma das referências da comitiva portuguesa na terceira presença olímpica (foi 6.ª no Rio 2016). Está em grande forma e bateu há dias o recorde português, que já era seu, ao saltar 14,66m, a sétima melhor marca do ano. A principal candidata ao ouro é Yulimar Rojas, a única a passar dos 15 metros este ano, mas Mamona já mostrou várias vezes que têm de contar com ela para o pódio.

FERNANDO PIMENTA

Canoagem

O canoísta de Ponte de Lima vai competir no K1 1000m, disciplina onde é vice-campeão europeu. Atleta experiente e já com duas participações em Jogos Olímpicos, Fernando Pimenta espera voltar a subir ao pódio olímpico no dia 3 de agosto. O colecionador de medalhas (tem 104 metais conquistados em competições internacionais) quer vingar Rio 2016 - era favorito e saiu sem medalha. O húngaro Bálint Kopasz é o grande rival no ouro.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG