Portugal bate Argélia e continua perfeito no Mundial de andebol

Três vitórias em três joigos mostram poderío nacional no Campeonato do Mundo.

Portugal manteve esta segunda-feira um percurso imaculado no Mundial de andebol, que se está a disputar no Egito, depois de somar o terceiro triunfo em outros tantos encontros no Grupo F, frente à Argélia (26-19).

Depois dos triunfos sobre a Islândia (25-23) e Marrocos (33-20), Portugal chegava a esta jornada já apurado, mas em busca de um triunfo que lhe permitisse entrar na ronda principal com quatro pontos.

Sem Luís Frade, lesionado, mas já com o recuperado Alexandre Cavalcanti, os comandados de Paulo Jorge Pereira não fizeram um jogo brilhante, mas souberam controlá-lo e assumiram a liderança ainda antes dos oito minutos, nunca mais a largando.

Com muita rotação na equipa, Pedro Portela voltou a ser o maior concretizador de Portugal, com quatro golos, com o argelino Messaoud Berkous a ser o melhor marcador do encontro, com sete, seis dos quais nos primeiros 20 minutos.

Tal como aconteceu com Marrocos, Portugal teve uns primeiros minutos menos positivos e permitiu à Argélia chegar ao 2-0, mas, desta feita, reagiu rápido e, antes dos oito minutos, passou pela primeira vez para a liderança (4-3), que jamais largou.

Belone Moreira esteve em destaque na seleção nacional no início da partida, com três dos primeiros cinco golos, enquanto a prestação de Messaoud Berkous, que marcou seis dos primeiros sete golos argelinos, motivou um pedido de desconto de tempo de Paulo Jorge Pereira, pouco satisfeito com a prestação defensiva.

Após este pedido de desconto de tempo, Portugal foi aumentando progressivamente o avanço e chegou a um máximo de cinco golos na primeira parte, instantes antes do intervalo (14-9).

Na segunda metade, Portugal controlou a vantagem, num encontro muitas vezes jogado de forma atabalhoada, com destaque para os últimos 15 minutos.

A equipa sete vezes campeã africana tentou aproximar-se no marcador, mas o melhor que conseguiu foi colocar-se a três golos (20-17), ficando depois deste momento mais de 10 minutos sem marcar - Portugal apenas apontou um nesse período.

Já nos derradeiros minutos, Portugal conseguiu chegar aos sete golos de diferença (25-18 e 26-19, resultado final), com dois contra-ataques concluídos por Diogo Branquinho.

Com este triunfo, além de terminar na frente do Grupo F da ronda preliminar, à frente de Islândia, Argélia e Marrocos, que precisa de vencer os nórdicos para ter hipótese de apuramento, Portugal assegurou a entrada com quatro pontos na ronda principal, para a qual se apuram os três primeiros de cada grupo, sendo contabilizados os pontos nos encontros entre eles.

Na próxima fase, Portugal já sabe que vai defrontar a França, vencedora do Grupo E e que também começará com quatro pontos.

Jogo no New Capital Sports Hall.

Portugal - Argélia, 26-19.

Ao intervalo: 14-9.

Sob a arbitragem de Ivan Pavicevic e Milos Raznatovic, do Montenegro, as equipas alinharam e marcaram:

Portugal (26): Alfredo Quintana, António Areia (2), Gilberto Duarte (1), Alexis Borges (3), Victor Iturriza (2), Alexandre Cavalcanti (3), Leonel Fernandes (3), Belone Moreira (3), Miguel Martins (2), Fábio Magalhães (1), Pedro Portela (4), Rui Silva, João Ferraz, Diogo Branquinho (2), Humberto Gomes.

Selecionador: Paulo Jorge Pereira.

Argélia (19): Yahia Zemouchi, Abdi Ayoub (5), Moustapha Hadj Sadok (2), Messaoud Berkous (7), Hichem Kaabeche, Daoud Hichem (2), Reda Arib, Berriah Abderahim, Sofiane Bendjilali, Khalifa Ghedbane, Nouredine Hellal, Zohir Naim (3) e Rahim Abdelkader.

Selecionador: Alain Portes.

Marcha do marcador: 2-3 (05 minutos), 5-4 (10), 6-4 (15), 9-7 (20), 10-8 (25), 14-9 (intervalo), 16-12 (35), 19-14 (40), 20-17 (45), 21-17 (50), 21-17 (55) e 26-19 (resultado final).

Assistência: Jogo realizado à porta fechada devido à pandemia de covid-19.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG