Popovich e a vitória de Trump: "Dá-me a volta ao estômago"

O histórico treinador norte-americano revoltou-se em conferência de imprensa, considerando que os EUA perderam os valores de igualdade

A vitória dos San Antonio Spurs sobre os Detroit Pistons, por 96-86, não foi o suficiente para deixar Gregg Popovich com um sorriso na conferência de imprensa após o jogo. O técnico norte-americano revoltou-se: não por causa da NBA, mas sim devido à vitória de Donald Trump nas presidenciais norte-americanas.

"Isto dá-me a volta ao estômago, e não é por causa de ter sido o Partido Republicano a ganhar as eleições. Revolto-me por causa dos comentários xenófobos, homofóbicos, racistas e misóginos. Vivo num país em que metade da população ignorou tudo isto na hora de votar em Trump", reagiu.

O histórico treinador de 67 anos, cinco vezes campeão na NBA, questionou o futuro das próximas gerações. "O que digo não tem a ver com o clima político, nem com o Obamacare ou outras questões. Vivemos num país que esqueceu todos os valores que devemos passar aos nossos filhos."

"Para mim, os valores são mais importantes do que o faro para o negócio. Quem somos, como queremos viver e que tipo de pessoa queremos ser. Por isso tenho um grande respeito por pessoas como Lindsey Graham, John McCain e John Kasich [n.d.r. republicanos que não apoiaram Trump]", reagiu.

Popovich aproveitou para expressar preocupação por todas as minorias étnicas. "Eu sou um homem rico e branco. Não consigo imaginar o que é ser, neste momento, um muçulmano, uma mulher, um afro-americano, um hispânico ou alguma pessoa incapacitada. Não consigo perceber por que é que estes indivíduos votariam em Trump", lamentou.

O norte-americano terminou desta forma: "A minha conclusão e grande medo é que, neste momento, somos Roma."

Mais Notícias

Outras Notícias GMG