FIFA acusa África do Sul de pagar por Mundial e pede indemnização de milhões a dirigentes corruptos

Um dos principais visados é Jeffrey Webb, antigo vice-presidente do organismo

A FIFA anunciou esta quarta-feira que vai exigir dezenas de milhões de euros por danos aos dirigentes implicados nos escândalos de corrupção que abalaram a estrutura máxima do futebol mundial e que se encontram sob investigação nos Estados Unidos.

O organismo destacou como um dos principais visados deste processo indemnizatório o seu ex-vice-presidente Jeffrey Webb, que já negociou com as autoridades dos EUA para entregar vários milhões de euros como parte de um acordo extrajudicial.

O futebol mundial está no centro de várias investigações em curso sobre alegados processos de corrupção e conduta indevida na adjudicação de provas internacionais, nomeadamente nos Mundiais, e concretamente no da África do Sul, que é acusada de ter pagado mais de 10 milhões de euros em subornos.

No topo da lista dos 39 envolvidos na investigação em curso, e que envolve o alegado pagamento de mais de 180 milhões de euros em subornos, encontram-se o ex-presidente do organismo, o suíço Joseph Blatter, e o francês Michel Platini (UEFA).

"Ao corromper estes torneios, jogos, patrocínios e outros assuntos do futebol através de seus acordos de bastidores e pagamentos secretos, os implicados arrastaram e mancharam a FIFA com a sua conduta suja", refere o organismo.

Os ex-dirigentes Jack Warner, de Trindade e Tobago, e Charles Blazer, dos Estados Unidos, são dois dos visados na queixa indemnizatória a apresentar pela FIFA e que sustenta que "ambos venderam os seus votos em diversas ocasiões".

Mais Notícias

Outras Notícias GMG