Paços de Ferreira surpreende Tottenham na Capital do Móvel e ganha vantagem no play-off

O brasileiro Lucas Silva foi a figura maior do jogo, ao anotar o único golo do encontro, aos 45 minutos

O Paços de Ferreira recebeu e venceu esta quinta-feira o Tottenham, por 1-0, colocando-se em vantagem para alcançar a fase de grupos da Liga Conferência Europa, num jogo com poucas oportunidades e decidido na primeira parte.

O brasileiro Lucas Silva foi a figura maior do jogo, ao anotar o único golo do encontro, aos 45 minutos, vencendo o frente a frente com Gollini, após assistência de Nuno Santos, garantindo um inesperado, mas justo, triunfo, face a um Tottenham irreconhecível, sem ideias, incapaz de incomodar André Ferreira e a jogar em três velocidades: devagar, devagarinho e a passo.

Apesar de ir a jogo com as segundas linhas, o Tottenham assumiu, desde o apito inicial, o controlo da bola, limitando o Paços, pelo menos nos minutos iniciais, a uma atitude mais reativa, na expectativa de perceber o que ia dar o encontro.

Nuno Espírito Santo deixou as estrelas da equipa em Inglaterra e apostou num onze alternativo, entre habituais suplentes e elementos da formação, correndo os riscos inerentes a quem não tem rotinas de jogo, bem evidentes num futebol quase sempre inconsequente e sem ligação ao ataque, órfão de referências e limitado a algumas iniciativas do espanhol Bryan Gil na primeira parte e à velocidade de Sessegnon na segunda.

Este ritmo excessivamente pausado dos ingleses, sem movimentos capazes de surpreender e bater os médios e defesas contrários, dava tempo e espaço para os pacenses, cada vez mais confiantes com bola, se organizarem e conseguirem levar a bola jogável ao meio campo contrário.

Sem nunca se esconder da bola, Eustáquio pautava o jogo dos pacenses, que se desdobravam no ataque com Lucas Silva e Hélder Ferreira, a única novidade na equipa inicial, pelos corredores, em apoio a Denilson Júnior.

Em rigor, os dois guarda-redes foram meros espetadores numa primeira parte morna e, em muitos momentos, desinteressante, embora o Paços tenha conseguido mais aproximações à baliza contrária.

Este futebol sem balizas, em que o primeiro remate enquadrado foi protagonizado pelo pacense Hélder Ferreira, aos 17 minutos, só seria quebrado em cima do intervalo, numa recuperação defensiva do Paços, que levou a bola de Eustáquio a Nuno Santos, autor da assistência para Lucas Silva, isolado, bater o desamparado Gollini, estabelecendo o resultado ao intervalo.

A segunda parte foi mais do mesmo, com o Tottenham a ter mais bola, mas sem conseguir criar qualquer espécie perigo para a baliza de André Ferreira, respondendo os pacenses em transições, sempre que possível, numa estratégia mais evidente de contenção.

Ainda assim, o melhor lance deste período saiu dos pés de Antunes, num livre indireto, que chegou a causar grande expectativa entre os quase 2.500 espetadores que viram o Paços surpreender a Europa do futebol e a fazer história.

Com este resultado, a eliminatória vai decidir-se na segunda mão, no Hotspur Stadium, e obrigar os ingleses, depois da vitória sobre os campeões ingleses do Manchester City, na ronda inaugural da Premier League, a irem a jogo com outra vontade e, certamente, outros intervenientes.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG