Seattle Seahawks vencem Superbowl

A defesa dos Seattle Seahawks dominou por completo Payton Manning e os Denver Broncos, domingo, garantindo ao conjunto de Washington a primeira vitória (43-8) no Superbowl, a final do campeonato dos Estados Unidos de futebol americano (NFL).

No Metlife Stadium, perante 82.529 espetadores, o ataque recorde da época regular só conseguiu os primeiros pontos a acabar o terceiro período, numa altura em que o jogo tinha "acabado", uma vez que os comandados de Pete Carroll já somavam 36.

A melhor defesa da NFL, liderada pelo polémico Richard Sherman, que acabou o jogo de muletas, prevaleceu e os Seahawks, que haviam perdido a final de 2006, fizeram história, com a segunda vitória mais folgada de sempre, "perdendo" apenas para os 55-10 dos San Francisco 49ers aos mesmos Broncos, em 1990.

Pelos Seahawks, cinco jogadores conseguiram touchdowns (Marshawn Lynch, o MVP Malcolm Smith, Percy Harvin, Jermaine Kearse e Doug Baldwin), os dois últimos após passes de Russell Wilson (completou 18 de 25, para um total de 206 jardas), o terceiro mais novo quarterback a vencer o Superbowl.

Quanto os Broncos, tornaram-se a primeira equipa a somar cinco desaires na final da NFL, não conseguindo repetir os triunfos das últimas duas presenças (1998 e 1999), sendo que, no jogo de Manning, as duas interceções "pesaram" mais do que completar 34 de 49 passes, perfazer 280 jardas e conseguir um touchdown.

O jogo correu de feição aos Seahawks e de forma desastrosa para os Broncos, logo desde a primeira jogada, já que começaram com a bola, mas, após escassos 12 segundos, já perdiam por 2-0, depois de um mau passe para Manning, que acabou em safety.

Nas duas primeiras jogadas de ataque, a equipa de Seattle não conseguiu mais do que dois pontapés, convertidos por Steven Hauschka (não falhou nenhum, totalizando 11 pontos), suficientes, porém, para liderar por 8-0.

Os Broncos não conseguiam sequer avançar 10 jardas e, sobre o final do primeiro período, Kam Chanceller intercetou um passe de Manning, jogada que viria a dar frutos no início do segundo, com o primeiro touchdown, de Marshawn Lynch.

Na jogada seguinte, Manning logrou o primeiro "first down" da equipa, mas, depois de mais uns avanços, sofreu nova interceção, transformada em touchdown por Malcolm Smith, após uma corrida de 69 jardas, numa jogada que o "empurrou" para MVP.

Nunca uma equipa recuperara de uma desvantagem superior a 10 pontos para vencer o Superbowl e se a tarefa já estava quase impossível para os Broncos, ainda pior ficou logo na jogada inicial da segunda parte, com Percy Harvin a conseguir um espetacular retorno de 87 jardas.

Mesmo a vencer por 29-0, os Seahawks não descansaram e, depois de "roubarem" a bola a Demaryus Thomas, lograram mais um touchdown, concretizado por Jermaine Kearse, numa corrida de 23 jardas, servido por Russell Wilson.

Em "cima" do final do terceiro quarto, Thomas logrou, finalmente, fazer pontuar os Broncos, com um touchdown, tendo Welker convertido, de seguida, uma jogada de dois pontos.

A diferença caiu para 26 pontos, mas voltou a subir, para os 35 finais, já que, no quarto e derradeiro período, só os Seahawks marcaram, num touchdown de Doug Baldwin, após passe de Wilson. Um pontapé de Hauschka fechou o resultado em 43-8.

Depois da música de Bruno Mars e de os Red Hot Chilli Peppers ao intervalo, a festa final foi dos Seattle Seahawks, que venceram o Superbowl XLVIII à custa da defesa. Em seu nome, Malcolm Smith foi eleito o MVP, o primeiro defesa a consegui-lo desde 1998.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG