Schumacher não esquiava a grande velocidade

A assessora de imprensa do antigo campeão de Fórmula 1 garantiu hoje que o acidente de esqui se deve a um conjunto de "circunstâncias infelizes" e que esteve não ia a grande velocidade quando caiu.

Sabine Kehm confirmou que "aparentemente o capacete que Michael Schumacher usava no momento do acidente, este domingo, quando fazia esqui na estância de Méribel, nos Alpes franceses, se partiu, mas recusou a ideia de que este fosse a grande velocidade.

"Ele não ia depressa", disse a assessora de imprensa, citada pela agência France Press, numa conferência de imprensa em que também revelou que um homem vestido de padre tentou invadir o quarto do hospital de Grenoble, em França, onde Schumacher está em coma induzido e em estado considerado crítico.

"Ele tropeçou numa pedra quando ia iniciar uma curva. Foi uma série de circunstâncias infelizes", acrescentou Sabine Kehm. "Ele fez uma manobra normal para virar", garantiu, acrescentando que aquele género de acidente poderia acontecer mesmo a 10 quilómetros/hora.

A assessora explicou ainda que Schumacher estava na companhia do filho e de um grupo de amigos e admitiu que este estava fora da pista de esqui. "Havia lá perto uma área de neve profunda, onde estava Michael. Ele não ia depressa, pois, ao que parece, tinha ajudado um amigo que tinha caído".

Mais Notícias

Outras Notícias GMG