Portugueses discretos nos mundiais de corta-mato

As equipas seniores feminina e masculina de Portugal primaram pela discrição nos campeonatos do Mundo de corta-mato, que decorreram este domingo em Bydgoszcz, Polónia. Colectivamente, as mulheres lusas ficaram em 5.º e os homens em 13 º.

Como habitual, os atletas africanos dominaram a prova. E, hoje, foi o dia do Quénia, que ganhou todas as provas seniores e juniores, tanto a nÍvel individual como colectivo.

A prova sénior feminina foi ganha pela queniana Emily Chebet, que derrotou ao sprint a compatriota Linet Masai, que repetiu o segundo lugar da época passada. A etíope Meselech Melkamu fechou o pódio. Jessica Augusto foi a melhor portuguesa e melhor atleta nascida na Europa, terminando em 21.º lugar (a holandesa Hilda Kibet, 10.ª, é de origem queniana).

A classificação colectiva feminina também premiou as quenianas, ficando as etíopes com o 2.º lugar e as estado-unidenses com a medalha de bronze. Portugal, com Jéssica Augusto (21.ª), Sara Moreira (27.ª), Anália Rosa (35.ª) e Ana Dias (44.ª), ficou em quinto lugar, mas teve o melhor registo das selecções europeias. Daniela Cunha, 60.ª, e Vanessa Fernandes, 62.ª, ficaram fora dos pontos.

A nível masculino, a festa também foi pintada com as cores do Quénia. Joseph Ebuya foi o vencedor da prova, devolvendo aos quenianos o título individual que lhes fugia desde 1999 (então ganhou Paul Tergat). Logo a seguir ficaram o eritreu Teklemariam Medhin e o ugandês Moses Ndiema Kipsiro.

A nivel colectivo, a tendência foi semelhante: ouro para o Quénia e prata para a Eritreia. O bronze também seguiu para África, mas para a selecção da Etiópia. Já Portugal ficou apenas em 13.º lugar, cotando-se como a terceira melhor selecção europeia. Yousef El Kalai, português de origem marroquina, ficou em  42.º e foi o único luso no "top 50". Depois, posicionaram-se Fernando Silva (58.º),  Licinio Pimentel (60.º), Manuel Damião (69.º) e Hélder Ornelas (75.º), enquanto José Rocha não terminou a prova.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG