Frederico Morais "no céu" após vencer Kelly Slater

Surfista de Cascais, campeão nacional, protagonizou a grande surpresa do Rip Curl Pro Portugal ao bater o norte-americano 11 vezes campeão do mundo

O português Frederico Morais admitiu hoje sentir-se no "céu" depois de eliminar o norte-americano Kelly Slater, na segunda ronda da etapa portuguesa do circuito mundial de surf, em Peniche.

O surfista de Cascais, de 21 anos, garantiu pelo menos um lugar entre os 13.ºs classificados do Rip Curl Pro Portugal, ao chegar à terceira eliminatória do campeonato, conquistando 12,34 pontos (6,67 e 5,67), mais 2,21 do que Slater, segundo no "ranking" mundial, no segundo "heat" da repescagem, na praia de Supertubos.

"As melhores ondas que fazemos na vida são aquelas que acabamos e não nos lembramos do que fizemos. Acho que este `heat" foi um bocado assim, estou no céu, tenho de aproveitar e concentrar-me nos próximos `heats"", disse Frederico Morais, após eliminar Slater, que já venceu o título mundial em 11 ocasiões.

Com este triunfo, Frederico Morais, conhecido no meio por "Kikas", tornou-se no quarto português a vencer o veterano norte-americano, de 41 anos: "Ainda ontem [no domingo] me disseram isso, que o `Bubas" [Bruno Charneca], o Ruben [Gonzalez] e o `Saca" [Tiago Pires] já ganharam e eu hoje também ganhei".

"Kikas" considerou a vitória especial por ocorrer na sua estreia em provas do circuito, no qual entrou graças a um "wildcard", mas ainda mais por ser em "casa".

"Entra para o `top-2" [dos melhores momentos da vida], de certeza absoluta. Foi um grande momento. Acho que só em França tinha disputado um `heat" com a praia tão cheia, ter aqui o público português, o meu treinador, a minha família e os meus amigos é uma coisa inacreditável", admitiu.

O surfista luso referiu sentir-se na obrigação de agradecer o apoio "muito carinhoso" do público na praia de Supertubos: "Eles puxam muito e acreditam muito em nós, acho que parte da vitória pertence-lhes e tenho de lhes agradecer".

"Eu sabia o que queria, não ia para dentro de água para perder, queria ganhar e dar um bom `show" de surf. Fui com a determinação de mostrar aos portugueses que podia passar e consegui. É ótimo [estar no céu], mas agora tenho de pôr os pés na terra e acreditar no `round" três. É esse o meu foco agora", rematou "Kikas".

Além da importância pessoal do triunfo, a eliminação de Slater atrasa o norte-americano na luta pelo título mundial de 2013, em benefício do australiano Mick Fanning, que agora pode se sagrar campeão em Portugal se vencer o Rip Curl Pro by Moche, se chegar à final e Jordy Smith não vencer, se perder nas meias-finais e o vencedor não ser Smith, Taj Burrow ou Joel Parkinson.

No primeiro "heat" da ronda de repescagem, Fanning, campeão do Mundo em 2007 e 2009 e atual líder do circuito, contabilizou 13 pontos (sete e seis) e afastou da competição o português Francisco Alves, que somou 8,93 pontos (4,5 e 4,43).

Mais Notícias

Outras Notícias GMG