Domínio da Mercedes deixa rivais a gritar por ajuda

"A FIA tem de fazer alguma coisa. O mais emocionante neste Grande Prémio foi ver o Arnold Schwarzenegger na cerimónia de pódio", criticou o chefe da Red Bull

Foi o cenário esperado, sem qualquer falha no guião que pudesse animar a história. Lewis Hamilton e a Mercedes dominaram de início ao fim o Grande Prémio da Austrália, que marcou o arranque de mais um Mundial de Fórmula 1. E nem o duelo entre os dois pilotos da marca alemã ofereceu grande dose de emoção, com o campeão Hamilton a controlar sempre a pressão de Nico Rosberg pelo retrovisor. No final, os rivais fizeram soar os sinais de alarme . "Pelo que vimos hoje, vai ser uma corrida entre os dois em todas as provas. A FIA (Federação Internacional do Automóvel) tem de fazer alguma coisa", disse o chefe da Red Bull-Renault Christian Horner.

Ora, a equipa de Horner, a Red Bull, foi precisamente a que dominou a Fórmula 1 nos anos anteriores ao "assalto" da Mercedes, levando o alemão Sebastian Vettel até ao mais jovem tetracampeonato da história da disciplina, entre 2010 e 2013. E nessa altura, recorda Horner, a FIA "fez de tudo" para travar os carros da equipa austríaca.

Leia mais na edição impressa ou no e-paper do DN

Mais Notícias

Outras Notícias GMG