Os grandes desafios de Zidane para recuperar o Real Madrid

No primeiro dia de trabalho, o antigo Bola de Ouro devolveu o sorriso aos jogadores. E já prometeu títulos e futebol bonito.

"É bom ter Zidane porque tem uma boa relação com os jogadores, eles ouvem-no muito." A frase foi proferida por Carlo Ancelotti quando em 2013 foi apresentado como treinador do Real Madrid com o francês como adjunto. Um comentário que faz agora mais sentido no Bernabéu. Zidane começou ontem a sua enorme tarefa como treinador principal dos merengues e tem como maior e mais espinhosa tarefa a de agregar um plantel destroçado pela má relação com o anterior técnico, Rafa Benítez.

E a primeira indicação dada pelo antigo Bola de Ouro foi precisamente no sentido de melhorar o ambiente no plantel. "Sou o responsável pela equipa e interessa-me que tudo esteja bem. É fundamental estar perto dos jogadores e ter uma boa relação com eles", afirmou Zidane, de 42 anos, na conferência de imprensa de ontem, após o primeiro treino como técnico principal do Real Madrid. Aliás, Zizou já deu o primeiro sinal de que as coisas estão a mudar: "Vi uma equipa animada e concentrada, empenhada no trabalho. Todos contentes."

Durante os seis meses da era Rafa Benítez, foram várias as notícias que davam conta do descontentamento dos jogadores, nomeadamente de Cristiano Ronaldo, em relação aos treinos, que diziam ser monótonos e repetitivos, com demasiadas paragens. Este será outro problema com que Zidane terá de lidar, sendo um desafio a um técnico cuja única experiência são dois anos no Castilla, a equipa B do Real Madrid. O francês admite que tem pouca experiência e pela frente "um desafio complicado", mas admitiu ser "trabalho e intensidade" a mensagem que tem transmitido.

Leia mais na edição impressa ou no e-paper do DN.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG