Nomeação de árbitro leva FC Porto a não comparecer ao jogo com a Ovarense

Nomeação do árbitro Paulo Marques esteve na base da polémica. Portistas não esquecem jogo com Sporting da época passada.

A equipa de basquetebol do FC Porto não compareceu este sábado ao jogo contra a Ovarense, na Arena de Ovar, relativo à liga portuguesa da modalidade. Na base desta polémica está um protesto dos dragões relativamente à nomeação do árbitro Paulo Marques para dirigir o jogo. A comitiva portista chegou a estar na Arena de Ovar, mas assim que viu confirmada a presença de Paulo Marques, decidiu retirar-se.

Paulo Marques, recorde-se, foi um dos árbitros do jogo da final do playoff do campeonato nacional na temporada passada, disputado em junho, contra o Sporting, que mereceu duras críticas por parte dos portistas. Já na altura, os responsáveis do FC Porto tinham ameaçado que não iriam comparecer nos jogos em que estivessem nomeados algum dos três árbitros desse jogo, chegando ao ponto de ameaçarem retirar-se da modalidade. Algo que, contudo, não irá acontecer.

"A direção do FC Porto, depois de confirmada a nomeação para o jogo Ovarense-FC Porto - a contar para a Liga Portuguesa de Basquetebol e a ter lugar às 17h00 -, de um dos árbitros envolvidos nas vergonhosas arbitragens que condicionaram a equipa de basquetebol na passada temporada e que lhe retirou um título nacional, não deixando de se desculpar à Ovarense, que merece o seu maior respeito e é alheia à nomeação, informa que, em sintonia com a sua decisão comunicada a 21 de junho de 2021, não comparecerá ao referido jogo. Esta deliberação, não sendo nova, merece ser comunicada em defesa dos superiores interesses do FC Porto. O FC Porto continuará com a sua equipa de basquetebol em todas as provas que integra, enquanto a deixarem nelas participar", lia-se num comunicado emitido este sábado

Os dragões não esqueceram a derrota por 86-85 no jogo de atribuição do título da temporada passada, diante do Sporting. "Esta final ficou marcada por decisões polémicas sempre contra o FC Porto. Aquilo que se passou foi uma das maiores roubalheiras a que já assisti", disse na altura o diretor portista Vítor Hugo.

"Aquilo que se passou é gravíssimo. Foi uma roubalheira monumental. Não foi só o jogo de hoje. É inacreditável o que aconteceu, portanto vamos ter que repensar a modalidade. Estou solidário com o FC Porto, com a minha direção e com os sócios, que vibraram connosco e estão revoltadíssimos. O que aconteceu é de uma indignidade brutal. É uma vergonha", acusou ainda Vítor Hugo em junho passado.

Na sequência desta falta de comparência, a equipa portista será penalizada com uma derrota por 20-0. Nas duas jornadas anteriores, os dragões tinham vencido o CAB Madeira e Sporting.

nuno.fernandes@dn.pt

Mais Notícias

Outras Notícias GMG