Neymar contra Messi. A final mais esperada da Copa América

Brasil e Argentina decidem na madrugada de domingo quem será o campeão sul-americano. Brasileiros tentam o 10.º título, argentinos procuram igualar o Uruguai como seleção mais vezes campeã (15).

O mítico Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, será o palco na madrugada de domingo (1.00 horas em Lisboa) da tão esperada final da Copa América entre o Brasil e Argentina.

Na prática, será também um duelo entre Neymar e Messi, as duas maiores estrelas da competição, que se apresentam nesta altura em grande forma. Aliás, têm sido eles a dar um pouco de brilho a uma competição sem público nas bancadas e que tem estado envolta em polémica por causa da sua realização, numa altura em que a América do Sul se encontra num ponto crítico da pandemia de covid-19.

A jogar em casa, a seleção brasileira surge como favorita, afinal venceu as últimas cinco finais que disputou e conquistou sempre o título nas cinco vezes que organizou a prova, a última das quais em 2019. Para chegar aqui, a equipa orientada por Tite marcou 12 golos e apenas sofreu dois, tendo concedido apenas um empate, na fase de grupos com o Equador, quando já estava apurada. De resto, nas meias-finais um golo de Lucas Paquetá, a passe de Neymar, foi o suficiente para vencer o Peru, por 1-0.

A Argentina vai tentar recuperar um título que lhe foge desde 1993. A equipa de Lionel Scaloni cedeu dois empates: na estreia com o Chile (1-1) e nas meias-finais diante da Colômbia (1-1), acabando por chegar à final no desempate por penáltis. No duelo com os colombianos, Messi fez a assistência para o golo de Lautaro Martínez, tendo o portista Luis Díaz feito o golo dos cafeteros, que acabaram por cair nos penáltis.

Das 46 edições da Copa América, apenas três tiveram Brasil e Argentina como finalistas. Os argentinos venceram em 1937 (como organizadores) e os brasileiros levaram a melhor em 2007 e 2007.

Agora, Neymar e companhia vão tentar vencer o 10.º título sul americano e o segundo consecutivo, enquanto a equipa de Messi vai procurar o 15.º troféu e, dessa forma, igualar o Uruguai como seleção com mais títulos.

carlos.nogueira@dn.pt

Mais Notícias

Outras Notícias GMG