Exclusivo Nélson Agra. A odisseia do regresso e o desespero de ficar 539 dias sem jogar

Operado a um hérnia discal em 2019, só voltou aos relvados um ano e meio depois. Jogador do Varzim conta ao DN todo o processo e o que sentiu quando voltou a calçar as chuteiras. Seguro não pagou nada. Clube compriu o contrato. Está a meses de ser um jogador livre...

O futebol não é só golos e troféus, também é lesões, recaídas, frustrações e até desilusão. Que o diga Nélson Agra, que esteve 539 longos dias (ano e meio) afastado dos relvados devido a uma hérnia discal. Um problema cada vez mais comum entre a comunidade desportiva, mas que no caso dele demorou a ser resolvido, por entre recaídas, o medo de voltar a ser operado e os problemas com o seguro. O jogador do Varzim chegou a pensar que não voltaria a calçar as chuteiras e a pisar um relvado.

Nélson sabe os dias de cor. "Quem esqueceria este mais de ano e meio sem jogar futebol?", questiona como quem espera aprovação. Começou por sentir "um desconforto muito grande" durante um treino, mas, longe de pensar que era um problema sério, desvalorizou, sempre tinha tido problemas na coluna e dores nas costas. Como a situação persistia falou com o médico. Reduziu a carga nos treinos, mas o desconforto evoluiu para uma situação de dor. Tanto que deixou de poder treinar normalmente. Parou durante duas semanas e não sentiu melhoras. À terceira semana foi a um especialista. Depois a outro e mais outro... Durante três meses andou de especialista em especialista, na esperança de ouvir que "era possível evitar a operação". Mas não era...

Mais Notícias

Outras Notícias GMG