Queiroz e Dunga trocam responsabilidades pelo jogo agressivo

A imprensa internacional falou de um desafio entre os "compadres" Portugal e Brasil rumo aos oitavos de final do Mundial de futebol de 2010, mas o duelo foi tudo menos amigável, com mostra a "folha" disciplinar.

Na primeira parte, foram sete os cartões amarelos exibidos pelo mexicano Marco Rodriguez -- na etapa complementar as equipas acalmaram e não houve admoestações --, quatro deles para Portugal.  

"Tem de perguntar ao Brasil (por que o jogo foi duro), não a nós. Perguntar à equipa do Brasil e aos jogadores brasileiros, não aos portugueses. Esteve à vista de toda a gente" disse Queiroz, com ar visivelmente incomodado.

 Apesar da insistência, o técnico foi irredutível: "Não quero fazer comentários, hoje é um dia para celebrar. Portugal qualificou-se com todo o mérito e deixo isso à apreciação dos jornalistas".

Carlos Dunga, seleccionador do Brasil, refutou qualquer acusação, devolvendo a pergunta a Queiroz.

"O Brasil já estava qualificado. Se virmos os cartões amarelos da partida isso já explica tudo. Não há muito que discutir", vincou.

A formação "canarinha" passou em primeiro lugar, com sete pontos, enquanto Portugal terminou com cinco, seguindo-se Costa do Marfim, com quatro, e Coreia do Norte, com zero.

Mais Notícias