Morreu John Mortimore, treinador bicampeão pelo Benfica

Em Portugal, John Mortimore notabilizou-se no Benfica, clube a que chegou em 1976/77, quase no fim da presidência de Borges Coutinho.

O antigo treinador John Mortimore, que levou o Benfica à conquista de dois campeonatos de futebol, morreu nesta terça-feira, aos 86 anos, informaram Chelsea e Southampton, clubes que representou.

"O Chelsea Football clube informa com grande pesar que faleceu o nosso antigo defesa John Mortimore, que disputou 279 jogos pelo clube", referem os 'blues', enquanto o Southampton manifesta pesar pela morte do seu antigo presidente.

Em Portugal, John Mortimore notabilizou-se no Benfica, clube a que chegou em 1976/77, quase no fim da presidência de Borges Coutinho, conquistando nessa época o campeonato, conquista que voltaria a alcançar em 1986/87.

No Benfica, o treinador inglês conquistou ainda duas Taças de Portugal, em 1985/86 e 1986/87, e uma Supertaça.

Mortimore foi ainda treinador do Belenenses, tendo estado na última conquista da Taça de Portugal por parte do emblema do Restelo, ao dar início à caminhada para a conquista do troféu na época de 1988/89, que não acabou, dando lugar a Marinho Peres.

Na nota de pesar pela morte do seu antigo futebolista, o Chelsea lembrou a subida ao relvado de Stamford Bridge ao intervalo de um jogo entre os blues e o Benfica, na Liga dos Campeões de 2012, com Mortimore a ser ovacionado pelos adeptos dos dois clubes.

Na carreira de jogador, Mortimore vestiu durante 10 épocas a camisola do Chelsea e uma a do Queens Park Rangers, mas como treinador passou por outros clubes além de Benfica e Belenenses, orientando também os gregos do Ethnikos, o Portsmouth e o Bétis.

Apesar da conquista de dois campeonatos, duas Taças de Portugal e de uma Supertaça, John Mortimore ficou também ligado ao Benfica devido a um resultado contra o rival Sporting - o inglês era o treinador dos encarnados na célebre derrota por 7-1 contra a equipa então orientada por Manuel José, a 14 de dezembro de 1986.

Em 2014, numa entrevista ao site Portugal Goal, o treinador recordou a noite de 4 de abril de 2012, quando foi aplaudido de pé em Stamford Bridge pelos adeptos de Chelsea e Benfica, num jogo entre os dois clubes nos quartos-de-final da Liga dos Campeões.

"Vem-me as lágrimas aos olhos só de pensar nisso. Foi uma experiência única, incomparável. Percorrer o campo de um lado ao outro e ser aplaudido pelos adeptos das duas equipas... foi fantástico. Não tenho palavras para descrever o que senti naquele momento. Foi uma experiência inolvidável", referiu.

Na mesma entrevista recordou ainda os tempos em que treinou o Benfica, considerando que foi "uma experiência tremenda".

"Treinar o Ethnikos foi uma boa escola, mas ir para o Benfica foi como subir uma escada. Havia sempre a pressão de ganhar. Havia um espírito tremendo porque o clube não se resumia ao futebol. Não me consigo lembrar o número de modalidades, mas eram muitas", frisou.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG