Ministério Público e PSP fazem buscas à SAD do FC Porto, a dirigentes e a empresários

Na origem das buscas estarão suspeitas relacionadas com contratos de direitos televisivos dos jogos de futebol do FC Porto.

O Ministério Público e a Autoridade Tributária estão a realizar, nesta segunda-feira, buscas à SAD do FC Porto, a dirigentes desportivos e a empresários de futebol devido a suspeitas relacionadas com contratos de direitos televisivos dos jogos dos dragões.

Fonte ligada ao processo confirmou à Lusa que o Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP) e a Autoridade Tributária, apoiados por elementos da PSP, estão igualmente a fazer buscas à casa do presidente do FC Porto, Jorge Nuno Pinto da Costa, e às instalações do clube.

A mesma fonte indicou que este inquérito é um processo autónomo do Cartão Vermelho, no qual no último verão o Ministério Público investigou crimes económicos relacionados com o ex-presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, que chegou a ser detido. Essas diligências incluíram também o filho, Tiago Vieira, e os empresários José Manuel dos Santos e Bruno Macedo.

Também as casas dos empresários Pedro Pinho e de Alexandre Pinto da Costa, filho do presidente do FC Porto estão a ser alvo de buscas na operação levada a cabo na manhã desta segunda-feira , adianta a revista Sábado, indicando que podem estar em causa suspeitas de fraude fiscal, abuso de confiança e branqueamento de capitais.

De referir que, na semana passada, o Ministério Público acusou Pedro Pinho de agredir um operador de câmara da TVI nas imediações do estádio do Moreirense, no final de um jogo entre este clube e o FC Porto, em abril de 2021.

A investigação em curso está a ser conduzida pelo procurador do Ministério Público Rosário Teixeira e pelo inspetor da Autoridade Tributária Paulo Silva.

Nas diligências desta segunda-feira, estará em causa a venda de direitos de transmissão televisiva do FC Porto à antiga Portugal Telecom, agora Altice. Um negócio que terá sido intermediado pela empresa BM Consulting, de Bruno Macedo, um dos arguidos na operação Cartão Vermelho.

No início deste mês, a Sábado noticiou que o filho do presidente do FC Porto, Alexandre Pinto da Costa, terá recebido do empresário Pedro Pinho cerca de 2,5 milhões de euros na sequência do negócio da intermediação com a Altice das transmissões dos jogos de futebol dos dragões.

Nas buscas estão envolvidos elementos da PSP, do Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP) e Autoridade Tributária (AT).

Com Lusa

Em atualização

Mais Notícias

Outras Notícias GMG