Miami Heat estreiam cães farejadores para detetar infetados com covid-19

Segundo o vídeo publicado no sítio dos Miami Heat na Internet, os cães aproximam-se de cada um dos espetadores e, caso detete o vírus, através do olfato, senta-se, ficando este adepto e o seu grupo impossibilitados de aceder ao recinto.

Os jogos dos Miami Heat, para a liga norte-americana de basquetebol (NBA), voltaram a receber público, na quinta-feira, seguindo um protocolo de segurança que inclui cães que detetam a infeção pelo novo coronavírus.

O regresso de aproximadamente 2.000 adeptos à American Airlines Arena, que tem uma capacidade para cerca de 20 mil espetadores, ocorreu na derrota da equipa de Miami frente aos Los Angeles Clippers, por 109-105, cumprindo muitas das regras aconselhadas para evitar a propagação do coronavírus responsável pela pandemia de covid-19.

Além da utilização de máscara, do distanciamento físico, da proibição de consumo de alimentos ou bebidas, da utilização de dinheiro e do uso de mochilas e sacos, os Miami Heat encetaram um plano de deteção do vírus, através de cães farejadores, à entrada, onde os espetadores foram submetidos à medição da temperatura corporal e responderam a um inquérito epidemiológico.

Segundo o vídeo publicado no sítio dos Miami Heat na Internet, os cães aproximam-se de cada um dos espetadores e, caso detete o vírus, através do olfato, senta-se, ficando este adepto e o seu grupo impossibilitados de aceder ao recinto.

Os Miami Heat tornaram-se na primeira equipa da NBA a recorrer este método, que já é utilizado nos aeroportos de Santiago, no Chile, do Dubai e de Helsínquia.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG