Jogo da Supertaça na Mauritânia termina mais cedo por ordem do presidente

Partida estava empatada a um golo e, aos 60 minutos, foi resolvida por penáltis, porque o Presidente da República não podia esperar

Era o jogo entre o vencedor do campeonato de futebol da Mauritânia e o vencedor da Taça. Em campo, estavam respetivamente o FC Tevragh Zeina e o ASC Ksar, que foram obrigados a interromper a partida aos 60 minutos e a decidir por penáltis o resultado. Tudo porque o Presidente da Mauritânia, Mohammed Ould Abdelaziz, que assistia ao jogo, tinha naquele dia uma agenda preenchida e não podia esperar, reportam vários meios de comunicação social. O jornal francês L'Équipe escreve mesmo que o governante se aborreceu e por isso mandou interromper a partida.

A Federação de Futebol da Mauritânia emitiu entretanto um comunicado garantindo que os treinadores e os presidentes de ambos os clubes concordaram com o final da partida e a passagem às grandes penalidades aos 60 minutos, numa altura em que as equipas estavam empatadas a um golo, retirando quaisquer responsabilidades dos ombros do Presidente.

O jogo realizou-se no sábado passado, um dia em que a agenda de Abdelaziz estava cheia, devido às celebrações dos 55 anos de independência da Mauritânia. Porque os restantes compromissos não podiam esperar, o governante terá decidido, alegadamente, que a melhor forma de chegar a tempo seria encurtando o jogo de futebol, que deveria durar os 90 minutos habituais.

A Federação da Mauritânia alega ainda que o jogo começou com atraso e que o estádio não tinha iluminação artificial, pelo que era necessário que o troféu fosse erguido pelo vencedor ainda com a luz do dia.

Segundo o L'Équipe, o FC Tevragh Zeina foi o vencedor do jogo.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG