João Sousa entra moralizado pelo regresso às finais

Vimaranense mostra excelente nível neste início de ano. Tem companhia de Gastão Elias no quadro principal

João Sousa chega a Melbourne motivado pelo seu melhor arranque de temporada de sempre no ATP, que lhe valeu o regresso às finais logo no primeiro torneio do ano, em Auckland (Nova Zelândia). O melhor tenista português, atual 44.º do ranking mundial, não conseguiu aumentar a sua coleção de títulos (Kuala Lumpur, 2013, e Valência, 2015), perdendo o encontro decisivo para o norte-americano Jack Sock (23.º ATP), mas viu validado um plano de pré--temporada que passou novamente por Espanha, e pelos treinos com Rafa Nadal, e que apontou para o ataque ao top 20 nesta época de 2017.

Por isso, apesar da derrota na final de Auckland, o vimaranense manifestou-se confiante para o Open da Austrália, onde deve entrar em ação na terça-feira, frente ao tenista local Jordan Thompson (75.º ATP). De resto, a primeira ronda deste primeiro torneio do Grand Slam do ano proporciona dois duelos luso-australianos, já que o sorteio do quadro principal colocou Gastão Elias (81.º) em confronto com Nick Kyrgios, o irreverente e mais talentoso tenista local (14.º melhor do mundo).

"Fica uma semana muito boa, em que me senti muitíssimo bem a jogar. A primeira semana do ano só poderia ter sido melhor se vencesse aqui o torneio. Estou obviamente triste por não ter conseguido, mas dá-me confiança para enfrentar agora o primeiro Grand Slam da temporada. Agora, é recuperar e trabalhar para poder um bom nível. Vamos dar tudo por tudo para fazer um bom torneio", comentou Sousa após a final perdida em Auckland, na madrugada de ontem.

Gaspar Ribeiro Lança, diretor do site especializado Ténis Portugal, crê que os dois tenistas portugueses estão melhor do que nunca: "Quer o João Sousa quer o Gastão Elias chegam a Melbourne Park em melhor forma do que em qualquer uma das épocas anteriores. Tiveram ambos excelentes semanas de preparação: Gastão venceu três encontros em Sidney e esteve perto de derrotar Dominic Thiem [8.º do mundo]; e o João Sousa fez um "brilharete" em Auckland."

A grande qualidade do jogo do vimaranense neste torneio neozelandês, na antecâmara do Open da Austrália, faz reforçar as expectativas em redor das possibilidades de João Sousa para crescer no ranking e nos torneios do Grand Slam.

"Revelou-se um jogador mais ofensivo nesta semana em Auckland, atacando claramente o campo dos adversários para os encostar às linhas e procurar mais os winners. Parte importante para esta vertente terá sido a semana de treinos que voltou a realizar com Rafael Nadal nas instalações do maiorquino, e ele próprio o referiu depois de vencer as meias-finais, dizendo que o aumento do número de winners provém dessa semana de preparação", analisa Gaspar Lança.

"Quanto ao ténis para ser top 20, está lá. Como demonstrou em Auckland, tem as pancadas e o físico para se bater de igual para igual com jogadores muito rápidos e detentores de pancadas de grande potência. O que por vezes faz a diferença é a forma como os jogadores encaram momentos de maior pressão e lidam com as mudanças naturais do marcador durante um jogo, mas também aí já provou ser capaz de ser muito forte. Penso que esta temporada pode ser uma temporada de solidificação de todos estes aspetos", antevê o jornalista especializado em ténis.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG