Jesus vs. Vitória. Depois do Ferrari e das pipocas, os milhões da UEFA

Spartak de Moscovo é o adversário do Benfica na terceira pré-eliminatória. Guerra de palavras entre treinadores vem de 2015. Jogos em agosto podem valer mais de 35 milhões.

Muitas vezes apelidado de "caprichoso", o sorteio da 3.ª pré-eliminatória da Liga dos Campeões, realizado esta segunda-feira, teve, desta vez, requintes de malvadez ao colocar o Spartak de Moscovo no caminho do Benfica. O mesmo é dizer Rui Vitória diante de Jorge Jesus. Os dois treinadores têm um histórico de animosidade que vem da época 2015-16, quando Jesus trocou a Luz por Alvalade e Vitória o substituiu no banco encarnado.

A troca de galhardetes fez as delícias de quem gosta de uma boa polémica. Mas agora só um deles pode seguir em frente para o playoff de acesso à Champions. E se Jesus tem vantagem no confronto direto (13 triunfos em 21 jogos), Vitória ganha em títulos conquistados frente ao rival (2).

Caso ultrapasse a terceira pré-eliminatória, o Benfica terá ainda de disputar o playoff de acesso à fase de grupos da Liga dos Campeões 2021-22, onde já estão o campeão Sporting e o FC Porto. A presença na Champions vale mais de 35 milhões de euros e os encarnados têm na época passada um bom exemplo a não seguir: perderam com o PAOK de Abel Ferreira (eliminatória a uma só mão) e falharam a entrada na fase de grupos.

Quase quatro anos depois, haverá novo duelo em campo entre Jesus e Vitória. Em 20 jogos europeus com equipas russas, as águias venceram oito, empataram quatro e perderam também oito. Na Rússia, o Benfica venceu em apenas duas ocasiões - o Lokomotiv (3-2) em 1996 e o Zenit (2-1) em 2016... sob o comando de Rui Vitória

A primeira mão realiza-se em Moscovo, a 3 ou 4 de agosto, e a segunda em Lisboa a 10. "Será uma eliminatória complicada, mas interessante. O sorteio deu-nos uma equipa muito difícil. Eu conheço o Benfica, mas o Benfica também nos conhece", reagiu Rui Vitória. Do lado da Luz a reação chegou pela voz de Luisão: "O Rui Vitória é um treinador que nos conhece bem e que nós conhecemos bem."

Ferrari, cebolada e pipocas

A guerra de palavras entre os dois técnicos começou a três dias da Supertaça de 2015, quando Jesus foi questionado pela RTP sobre a herança deixada na Luz. "As ideias que estão lá são todas minhas. O Benfica não mudou nada, zero. Vou jogar contra uma equipa com ideias minhas. Eu cheguei ao Sporting e mudei tudo. O cérebro já não está lá (no Benfica)", disse o então técnico leonino que viria a conquistar o troféu.

Questionado sobre as palavras do colega, o então treinador do Benfica respondeu assim: "A minha personalidade não muda por eu ganhar ou perder. Eu sou assim, penso pela minha cabeça e quando eu quiser respondo. Neste momento, o treinador do Sporting fica a falar sozinho, porque não me apetece falar com ele."

O campeonato começou e no dia em que se defrontaram para I Liga o discurso de Vitória ganhou um cariz mais mordaz:"Vai jogar uma equipa, que somos nós, contra 11 jogadores, que não sei se será uma equipa, que é o Sporting". O Benfica voltou a perder, desta vez por 3-0, e Jesus voltou à carga: "É fácil depois de ganhar responder a Rui Vitória. Era fácil pôr o Rui Vitória deste tamanhinho (fazendo um gesto com os dedos), mas não ponho. Vou respeitá-lo."

Os adeptos iam assistindo ao bate-boca e o sorteio da Taça de Portugal voltaria a colocá-los um contra o outro. E novamente com triunfo dos leões. "Ser bom não é ser bonzinho. Já são três vezes que o Benfica joga (com o Sporting) e é prejudicado em penáltis claros. Já chega. É a tática do barulho e eu não quero ser comido de cebolada. O Benfica merece respeito", atirou na altura Vitória, que mais uma vez teve de engolir em seco quando Jesus lembrou os três duelos ganhos: "Não pode queixar-se do jogo da Supertaça, nem dos 3-0 na Luz, nem deste. Foi limpinho, limpinho. Foi uma grande arbitragem."

O pingue-pongue continuou mesmo sem a cumplicidade do calendário. "Pelos vistos há dois treinadores obcecados pelo Benfica. Mas eu sou só pelo Benfica. Sei quais são os objetivos que estão por detrás da novela, mas estou-me nas tintas", disse o então técnico das águias antes de um jogo com o Marítimo.

Um dia depois o Sporting goleou o Vit. Setúbal e o treinador dos leões foi induzido em erro sobre uma declaração de Rui Vitória, que o teria considerado mau colega: "Como não o qualifico como treinador, logo não sou mau colega. Para ser treinador, ele tem de ser muito mais. Fi-lo sair da toca. Para treinar o Benfica ele tem de se assumir. Para conduzir um Ferrari tem de ter andamento para ele."

Jesus pode ter levado a melhor no bate boca, mas perdeu o campeonato para o Benfica de Vitória. Nos festejos, o treinador campeão (2015-16) não o esqueceu: "Nas minhas preocupações, vêm primeiro os meus jogadores, depois a minha família, as pessoas que nos ajudam nos pequenos almoços, os meus colegas de trabalho antigos, aí em 20.º os professores das minhas filhas, em 77.º o vendedor de pipocas de uma festa que eu tive e só lá para 90.º o treinador do Sporting."

A troca de palavras terminou aí, apesar de se terem defrontado mais duas épocas. Em 2016-17 Rui Vitória seria novamente campeão e em 2017-18 o título foi para o FC Porto. Agora, um novo duelo os espera, provavelmente desta vez sem polémicas à mistura.

isaura.almeida@dn.pt

Mais Notícias

Outras Notícias GMG