Jesus regressa à Champions, a sua competição maldita

O treinador do Benfica inicia esta terça-feira à noite (20.00 horas), em Kiev, a sua oitava participação na fase de grupos da liga milionária, da qual não tem boas recordações, pois só por uma vez conseguiu o apuramento. Na Ucrânia, frente ao Dínamo, vai tentar inverter o pobre registo nos jogos como visitante, afinal apenas venceu quatro das 23 partidas que disputou.

O Benfica estreia-se esta terça-feira à noite (20.00, Eleven Sports 1) na fase de grupos da Liga dos Campeões 2021-22 na Ucrânia. O Dínamo Kiev é o primeiro obstáculo dos encarnados que chegam a esta fase da prova depois de terem eliminado Spartak Moscovo e PSV Eindhoven.

A partida marca o regresso de Jorge Jesus à principal prova de clubes do mundo, depois de um afastamento de mais de quatro anos, pois foi a 5 de dezembro de 2017 que orientou o último jogo nesta competição, com uma derrota à frente do Sporting, em Barcelona, por 2-0. Três anos antes - 9 de dezembro de 2014 - tinha orientado a última ao serviço do Benfica, com um empate a zero, na Luz, diante dos alemães do Bayer Leverkusen.

A Liga dos Campeões é uma autêntica competição maldita para Jorge Jesus, de 67 anos, afinal em sete participações - cinco pelo Benfica e duas pelo Sporting - apenas por uma vez conseguiu superar a fase de grupos, foi em 2011-12 quando chegou aos quartos-de-final ao serviço dos encarnados, tendo sido eliminado pelo Chelsea. De resto, em 46 jogos na Champions, Jorge Jesus apenas conseguiu 15 vitórias, sendo que nas 23 partidas que orientou como visitante contabiliza apenas quatro triunfos e outros tantos empates...

O jogo desta noite em Kiev, frente àquele que é, teoricamente, o adversário mais fraco do grupo - tem ainda Bayern Munique e Barcelona -, é uma grande oportunidade para arrancar com o pé direito e começar a inverter o registo negativo que Jesus tem nesta prova.

Apesar de esta ser, à partida, a deslocação mais acessível que o Benfica tem no grupo, Jorge Jesus faz questão de manter toda a gente em alerta. "Não é verdade que o Dínamo Kiev seja a equipa mais fraca do grupo", começou por dizer ontem em conferência de imprensa, antes da partida para a Ucrânia. "Tem o treinador mais titulado do mundo no ativo, Mircea Lucescu, por quem tenho uma admiração muito grande. É uma equipa que tem cinco titulares que estiveram no recente Campeonato da Europa", explicou o treinador benfiquista, garantindo que "são sinais evidentes de que se trata de uma grande equipa".

As cautelas de Jesus apontam no sentido de haver empenhamento máximo, independentemente do nome do adversário. "Não olho para o Dínamo Kiev de forma diferente da que olho para Barcelona ou Bayern Munique. Para mim, o Dínamo é tão forte como o Barcelona ou o Bayern", garantiu, deixando no entanto uma certeza: "Penso ganhar contra todos eles."

Jesus admirador de Lucescu

Jorge Jesus garante que o Dínamo Kiev é uma equipa "forte nas bolas paradas ofensivas e no ataque posicional", além de uma ideia de jogo que diz gostar, afinal é um admirador do romeno Mircea Lucescu, técnico de 76 anos, que está na segunda época no Dínamo Kiev.

Nesse sentido, assumiu que a sua estratégia passa por "tentar parar os dois ou três jogadores mais importantes na organização de jogo" dos campeões da Ucrânia "para anular o seu ataque posicional". Apesar de estar atento aos pontos fortes do Dínamo, Jorge Jesus garante que "o Benfica tem todas as condições para disputar a vitória com todos os adversários do grupo". "Foi para isso que nos preparámos, sem receio de nada, mas sabendo que os rivais têm os mesmos objetivos e são fortes", sublinhou.

No que diz respeito à equipa a utilizar no Estádio Olímpico de Kiev, o treinador dos encarnados voltou a ser cauteloso, garantindo que a rotação de jogadores que tem feito "tem a ver com o período" da temporada, mas também porque tem "mais soluções do que no ano passado". "Tenho sempre a garantia de mudar três, quatro ou cinco jogadores e a equipa não perder rendimento", assumiu, garantindo que a sua equipa "está muito mais forte".

Por sua vez, Mircea Lucescu destacou o "bom momento" do Benfica e devolveu os elogios a Jesus: "Nunca o defrontei mas conheço-o bem pelos seus jogos e pelos encontros de treinadores que tivemos em Nyon. Aprecio muito o seu trabalho e sei que teremos um jogo difícil frente a um adversário forte." O técnico romeno elogiou a qualidade dos encarnados, lembrando que têm jogadores "muito experientes". "Gastaram muito dinheiro para construir esta equipa, enquanto nós temos uma equipa em boa parte construída com jovens da nossa academia", frisou.

O histórico de confrontos entre as duas equipas é favorável ao Benfica, que venceu por três vezes e perdeu apenas uma, precisamente em Kiev, em 1991, num jogo marcado por uma grave lesão de Rui Águas. A outra visita à capital da Ucrânia foi em outubro de 2016, para a fase de grupos da Champions, tendo os encarnados vencido por 2-0 com golos de Salvio e Franco Cervi, era Rui Vitória o treinador.

Barça tenta vingar os 8-2

Um dos grandes jogos da 1.ª jornada da Champions é, precisamente, aquele que vai opor, no Camp Nou, o Barcelona ao Bayern Munique. Será o reencontro das duas equipas depois dos famosos 8-2 com que os bávaros eliminaram os catalães nos quartos-de-final de 2020, numa partida realizada na Luz.

Atenções ainda para Berna, na Suíça, onde Cristiano Ronaldo vai voltar a jogar na Champions pelo Manchester United. A partida com o Young Boys irá permitir a CR7 igualar o guarda-redes espanhol Iker Casillas como jogador com mais partidas na prova (177).

Sporting e FC Porto só entram em ação amanhã frente a Ajax e Atlético de Madrid, respetivamente, quatro dias depois de terem empatado no clássico de Alvalade.

Os leões Sporting recebem o Ajax, campeão dos Países Baixos, praticamente com a certeza de que não vão poder contar com Pedro Gonçalves, melhor marcador da equipa. No entanto, o treinador Rúben Amorim já deverá contar com Gonçalo Inácio e Tiago Tomás, que ontem já "de forma condicionada".

No histórico de confrontos entre as duas equipas, o Sporting tem um currículo 100% vencedor, uma vez que nos dois jogos realizados para a Taça UEFA de 1988-89, triunfaram por 4-2 em Alvalade e por 2-1 em Amesterdão.

Já os dragões visitam o Atlético de Madrid, campeão de Espanha, que conta com os ex-portistas Felipe e Herrera, bem como com um ataque poderoso e com muitas opções, das quais se destacam Antoine Griezmann, Luis Suárez, Ángel Correa, Ferreira-Carrasco e João Félix. A equipa de Sérgio Conceição vai tentar repetir o único triunfo alcançado em Madrid pelo FC Porto em 2009, por 3-0. De resto, nos outros três jogos em casa dos colchoneros registaram-se duas vitórias espanholas e um empate.

carlos.nogueira@dn.pt

Mais Notícias

Outras Notícias GMG