Jake Daniels assume homossexualidade. Equipas da Premiere League aplaudiram

Foram precisos mais de 30 anos para um jogador de futebol profissional britânico assumir a homossexualidade. "Toda a minha vida eu soube que sou gay e agora sinto que estou pronto para sair do armário e ser eu mesmo", disse.

A decisão de Jake Daniels, jogador da equipa Blackpool FC, de se assumir como homossexual, esta segunda-feira, foi encarada como um momento histórico.

O avançado de 17 anos fez o anúncio num comunicado no site do clube. "Fora de campo eu tenho escondido o verdadeiro eu e quem eu realmente sou", disse ele. "Toda a minha vida eu soube que sou gay e agora sinto que estou pronto para sair do armário e ser eu mesmo".

Ele foi o primeiro jogador de futebol profissional do reino Unido a assumir-se gay em mais de 30 anos.

O ex-avançado do Norwich e do Nottingham Forest, Justin Fashanu, assumiu-se publicamente como gay em 1990, durante a sua carreira, ainda como amador. O australiano Josh Cavallo, que joga no Adelaide United, anunciou que era gay em outubro. O alemão Thomas Hitzlsperger, ex-jogador do Aston Villa e da Alemanha, assumiu que era gay após o fim da carreira, enquanto que o norte-americano Robbie Rogers, ex-jogador do Leeds, assumiu que era gay em 2013, depois de deixar Elland Road e antes de entrar no LA Galaxy.

"É um passo para o desconhecido ser um dos primeiros jogadores de futebol deste país a revelar a minha sexualidade, mas fui inspirado por Josh Cavallo, Matt Morton e atletas de outros desportos, como Tom Daley, ter a coragem e determinação para impulsionar a mudança", disse Jake Daniels.

Daniels, que se estreou recentemente na equipa principal, disse que confidenciou aos seus companheiros na equipa juvenil, que o apoiaram.

"Eu odiei mentir toda a minha vida e senti a necessidade de mudar para me encaixar", disse o jogador. "Eu quero ser um modelo ao fazer isto".

"Existem pessoas no mesmo espaço que eu que podem não se sentir à vontade para revelar a sua sexualidade. Eu quero dizer a todas elas que não precisas de mudar quem és, ou como deverias ser, só para te encaixar".

Todos os 20 clubes da Premier League escreveram no Twitter o seu apoio a Daniels, que também recebeu elogios do primeiro-ministro britânico Boris Johnson.

"Obrigado pela tua coragem, Jake. É preciso muita coragem para se assumir e serás uma inspiração para muitos dentro e fora do campo", disse o chefe de governo.

O ex-capitão do Manchester United Gary Neville disse que a decisão de Daniels foi "um grande momento para o futebol". "O que ele acabou de fazer exige uma coragem incrível", disse Neville no seu papel como comentador da Sky Sports. "Não consigo imaginar o quão difícil tudo isto tem sido. Tudo o que eu diria é que é um dia de grande importância para Jake e a sua família, mas também para o futebol inglês. Ficará na história. É um grande momento para o futebol".

As equipas da Premier League usam atacadores arco-íris durante um fim de semana a cada temporada desde 2013, como parte de uma campanha liderada pela organização de direitos lésbicos, gays, bissexuais e transgénero, Stonewall.

"Estamos orgulhosos que Jake se tenha sentido capaz de partilhar a sua verdade com o mundo", disse a diretora de programas da Stonewall, Liz Ward. "Assumir-se publicamente como o primeiro jogador de futebol profissional abertamente gay no Reino Unido em quase 30 anos exige uma coragem incrível, e estamos animados com a solidariedade e o apoio que recebeu do Blackpool FC e dos seus companheiros de equipa".

Já a Federação inglesa de futebol (FA) comentou no seu 'site' que "o futebol é um desporto para todos", elogiou a coragem de Daniels, considerou ter sido dado "um grande passo na direção certa" e prometeu continuar a lutar por "um desporto verdadeiramente inclusivo".

Mais Notícias

Outras Notícias GMG