Já está! 7.44 minutos deram a Neemias Queta um lugar na história

O basquetebolista do Barreiro estreou-se pelos Sacramento Kings na liga norte-americana. Cumpriu uma ambição de criança: "Há muito tempo que sonhava com este momento, na verdade desde que comecei a jogar".

Pela primeira vez, um jogo da NBA, a liga norte-americana de basquetebol e mais importante competição mundial da modalidade, contou com um jogador português em campo. O feito foi conseguido por Neemias Queta, ao serviço dos Sacramento Kings. Aos 22 anos, Queta já tinha entrado na história do desporto nacional quando, no final de julho, tinha sido o primeiro português a ser selecionado no draft da NBA, escolhido pelos Kings na 39.ª posição. Na madrugada deste sábado veio o passo seguinte: estrear-se pela equipa principal.

Queta alinhou durante 7.44 minutos na derrota caseira frente aos Memphis Grizzlies (105-124). Não conseguiu marcar pontos, mas somou cinco ressaltos, uma assistência e um desarme de lançamento, tendo ainda falhado os quatro lançamentos tentados.

Os Kings estão a lidar com um surto de covid-19 na equipa, que afastou seis atletas, o que acabou por abrir a porta à estreia de Queta. O jogador nascido no Barreiro atuou no segundo período (4.30 minutos), no terceiro (1.01) e ainda no quarto e último, nos derradeiros 2.13 do encontro.

A primeira aparição aconteceu a 1.01 minutos do final do intervalo, momento histórico em que o 88 português substituiu Chimezie Metu: entrou depois do primeiro de dois lances livres de De"Anthony Melton e fez o primeiro lançamento com 7,6 segundos para jogar - ficou curto, bateu no aro e não entrou. Nos segundos finais da primeira parte, brilhou com um desarme de lançamento a Kyle Anderson e um segundo consecutivo, perante Dillon Brooks, que já não entrou na estatística, por o tempo estar esgotado.

O jogo não correu de feição aos Kings, que foram vendo os Grizzlies aumentar a vantagem com o passar do tempo. No último período, já com o desfecho definido (101-122), reentrou para os 2.13 minutos finais do jogo e conquistou, num ápice, três ressaltos ofensivos, que transformou em outras tantas "tapinhas", mas sem conseguir converter qualquer delas.

Veja abaixo os pontos altos da partida:

Sonho cumprido e sem nervosismo

No final da partida, apesar do resultado negativo, Neemias Queta estava feliz por ter realizado um sonho. "É um grande feito. Estar em campo e jogar. Há muito tempo que sonhava com este momento, na verdade desde que comecei a jogar basquetebol. Estou muito feliz. Em Portugal já é muito tarde, mas quero aproveitar todas as oportunidades para agradecer a todos os que ficaram acordados para me ver jogar", afirmou em conferência de Imprensa, após ser questionado sobre o facto de ter sido o primeiro jogador português a disputar uma partida na NBA.

O poste da seleção nacional garantiu também que não estava nervoso quando surgiu a hipótese de entrar em campo, porque todo o trabalho realizado até aqui foi a pensar nesta estreia: "Para mim, o importante foi estar sempre preparado para responder assim que tivesse a oportunidade. Eu sabia que ela ia chegar, por isso praparei-me para ajudar a minha equipa, ser forte defensivamente e fazer aquilo que faço melhor."

Queta integra o plantel de 17 basquetebolistas dos Sacramento Kings para a época 2021/22, mas é um dos dois com contrato de duas vias, que lhe permite atuar na equipa principal e na formação secundária, os Stockton Kings, da G-League. O poste, de 2,13 metros, esteve três anos na Universidade de Utah State, ao serviço dos Aggies, tendo em Portugal jogado no Barreirense (clube onde despontou) e no Benfica antes de ser selecionado no draft pelos Kings. O internacional português, que também é conhecido com Quetão e cresceu no Vale da Amoreira (onde hoje existe um enorme mural dedicado ao jogador), acabou a carreira universitária com médias de 13,2 pontos, 9,0 ressaltos, 2,5 desarmes de lançamento e 2,0 assistências, com 59,4% nos lançamentos de campo, números que convenceram o conjunto da cidade de Sacramento.

Doug Christie, treinador adjunto do Sacramento Kings, foi o responsável por lançar Queta em campo e não poupou elogios ao atleta: "Sou um grande fã desde que vi este miúdo no training camp. Acredito que pode ser muito bom e é fácil ver o potencial. Faz excelente passes, não tem medo, protege a tabela, bloqueia lançamentos... Foi o timing perfeito ver o que vale". com Lusa

pedro.sequeira@dn.pt

Mais Notícias

Outras Notícias GMG