Invasão de adeptos do Man. United em protesto contra proprietários

O pontapé de saída no jogo da Premier League entre o Manchester United e o Liverpool foi adiado para nova data depois de os adeptos terem invadido Old Trafford em protesto contra os proprietários do United, a família Glazer.

"Queremos os Glazers fora", cantaram centenas de adeptos do Manchester United, que conseguiram entrar no estádio Old Trafford, e no terreno de jogo, tendo levado ao adiamento do jogo com o Liverpool. Lá fora, também se contava um grande número de adeptos, no dia em que o rival Manchester City poderia ser coroado campeão da Premier League se o United perdesse.

O jogo deveria ter começado às 16.30, mas a Premier League confirmou que o jogo tinha sido adiado até nova ordem. Por volta dessa hora a Polícia já havia retirado os adeptos do estádio, mas segundo o Manchester Evening News, havia muita limpeza por fazer. Uma hora depois, o clube anunciou em comunicado que a partida foi adiada para data a anunciar. Nas ruas, os adeptos festejaram. "Nós decidimos quando podem jogar", cantaram.

O protesto foi pacífico até ao momento em que os fãs responderam à chegada das forças de segurança com o lançamento de garrafas e de barreiras. Houve confrontos e algumas detenções.

Como sinal de protesto, os adeptos do United voltaram a usar as cores verdes e douradas de Newton Heath, o clube fundado em 1878 que acabou por se tornar no Manchester United 24 anos mais tarde. Também marcaram posição com uma série de cartazes visando os Glazers.

O mesmo acontecera quando a família Glazer tomou o clube em 2005.

A raiva contra a família norte-americana voltou a explodir depois de o United ter feito parte do projeto da superliga europeia que acabou por entrar em colapso em 48 horas, no mês passado, graças à reação negativa dos adeptos, jogadores, governos e órgãos dirigentes.

O United foi um dos impulsionadores do projeto que procurava garantir a 15 membros fundadores uma competição de alto nível e elevadas receitas sem a necessidade de se qualificar em campo. Numa declaração pública, o copresidente do United, Joel Glazer, pediu desculpa aos adeptos por ter inscrito o clube na superliga.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG