Histórico: Teerão autoriza entrada de mulheres no estádio

Várias mulheres assistem no Estádio Azadi à transmissão do jogo entre Irão e Espanha, em ecrã gigante

Numa decisão histórica, o governo de Teerão permitiu esta quarta-feira a entrada de mulheres num estádio de futebol pela primeira vez desde a revolução islâmica de 1979.

A notícia está a ser difundida nas redes sociais, com fotografias de várias mulheres iranianas a assistir ao jogo entre Irão e Espanha no Estádio Azidi, em Teerão, onde a partida está a ser transmitida em ecrã gigante. Como se pode ver neste tweet da repórter Natalie Amiri, correspondente da televisão alemã ARD em Teerão.

A participação do Irão no campeonato do mundo fez aumentar a pressão sobre o governo iraniano para por fim a uma proibição que se estende há 39 anos.

Em São Petersburgo, onde o Irão venceu Marrocos (1-0), em jogo da primeira jornada do grupo B do Mundial, foram vistas durante o jogo, nas bancadas, tarjas a apelar ao fim da proibição de entrada das mulheres em estádios iranianos.

De resto, fora dos relvados, a presença de milhares de mulheres iranianas nas bancadas tem sido uma das notas de destaque deste Mundial da Rússia.

Agora, após uma série de avanços e recuos, Teerão acedeu finalmente a este passo histórico. Antes do Irão-Marrocos chegou a ser permitida a transmissão pública dos jogos, para depois ser cancelada. E também esta tarde a decisão conheceu resistências, com a polícia inicialmente a barrar a entrada no estádio, segundo relatos vindos da capital iraniana.

A agência de notícias estudantil do Irão, ISNA, informou que a autorização especial é válida apenas para este jogo com Espanha, mas ativistas iranianas confiam que este seja o primeiro passo para um levantamento definitivo da proibição.

"Se tudo correr bem, isto pode ser um prelúdio para a suspensão definitiva e total dessa regra. Esperemos que seja possível ver o Irão-Portugal (dia 25), no mesmo estádio, num ambiente familiar que misture homens, mulheres e crianças", disse à ISNA Tayebeh Siavoshi, deputada do parlamento de Teerão, segundo declarações difundidas pela AFP.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG