Froome sobe à liderança na antepenúltima etapa

O britânico da Sky subiu esta sexta-feira à liderança da Volta a Itália em bicicleta, após uma fuga em solitário de mais de 80 quilómetros na 19.ª e antepenúltima etapa.

Na subida para o alto de Finestre, a mais de 80 quilómetros do final da etapa, que ligou Venaria Reale a Bardonecchia (184 quilómetros), Froome, aproveitando a quebra do anterior líder, o compatriota Simon Yates (Mitchelton-Scott), atacou e fugiu para o triunfo, sem que ninguém o conseguisse acompanhar.

"Acredito que nunca tinha atacado a 80 quilómetros da linha de meta na minha carreira. Corri sozinho e cheguei até ao final. A equipa fez um trabalho fantástico para me permitir fazê-lo", afirmou.

Froome assumiu que o objetivo da equipa era, inicialmente, deixar para trás Yates e depois o holandês Tom Dumoulin (Sunweb), algo que conseguiram fazer.

À chegada a Bardonecchia (contagem de primeira categoria), Froome, que gastou 5:12.26 horas, já era dado como líder virtual, algo que foi confirmado com a chegada do holandês Tom Dumoulin (Sunweb), anterior segundo classificado, na quinta posição, a 3.23 minutos.

O equatoriano Richard Carapaz (Movistar), a 3.00 minutos, o francês Thibaut Pinot (Groupama-FDJ), a 3.07, e o colombiano Miguel Angel Lopez (Astana), a 3.12, foram os primeiros do grupo de perseguidores.

À partida para a antepenúltima etapa, Froome era apenas quarto classificado, a mais de três minutos de Yates, que hoje perdeu 38.51 minutos.

Com apenas duas etapas por disputar, o britânico, que está a ser investigado por um controlo antidoping positivo na Volta a Espanha, tem 40 segundos de avanço sobre Dumoulin, vencedor em 2017.

Este avanço deixa Froome mais próximo de conquistar as três grandes voltas, podendo mesmo tornar-se no terceiro a vencê-las de forma consecutiva, depois de ter vencido o Tour e a Volta em 2017.

O outro grande derrotado da etapa foi o italiano Domenico Pozzovivo (Barhain Merida), que perdeu 8.29 minutos e caiu da terceira posição para a sexta, sendo ultrapassado por Pinot, Lopez e Carapaz.

O português José Gonçalves (Katusha-Alpecin) foi 19.º na tirada, a 14.55 minutos de Froome, e subiu ao 16.º lugar da geral, a 28.16.

No sábado, corre-se a 20.ª e penúltima etapa, entre Susa e Cervinia (214 quilómetros), com os ciclistas a terem de ultrapassar três contagens de montanha de primeira categoria nos últimos 70 quilómetros.

Mais Notícias