G-15 reúne-se no Porto sem os três grandes para "evitar inibições"

Quinze clubes da I Liga vão debater medidas para melhorar o futebol luso. Benfica, Sporting e FC Porto ficam à margem

Quinze clubes da I Liga vão reunir-se esta tarde, a partir das 15.00, num hotel do Porto, à margem de Benfica, Sporting e FC Porto, para discutir o estado atual do futebol português, em especial os problemas que afetam todos aqueles que militam no escalão principal. Neste encontro, em que não estará também presente Pedro Proença, o presidente da Liga, os clubes de média e pequena dimensão esperam chegar a um caderno de encargos com propostas de medidas para apresentar à entidade que gere o futebol profissional, mas também à Federação Portuguesa de Futebol e ao governo.

Em declarações ao DN, Carlos Pereira, presidente do Marítimo, explicou que a ausência dos denominados três clubes grandes de Portugal fica a dever-se a duas razões: "Em primeiro lugar qualquer um deles tem assento na direção da Liga; em segundo lugar, pretendemos que os restantes clubes discutam os problemas sem estarem inibidos pela presença dos grandes, pois há sempre maior à vontade de alguns clubes quando os três grandes não estão presentes."

Não existe uma ordem de trabalhos predefinida para esta reunião, podendo cada um dos clubes apresentar os temas que queiram ver discutidos e que sejam do interesse de todos. "É bom que não especulem que vamos discutir sobre arbitragem e o VAR. Esse poderá ser um dos temas, mas há outros de extrema importância que vão ser debatidos, como as dificuldades financeiras dos clubes, os custos do futebol, o relacionamento entre todos, mas também as questões relacionadas com os empréstimos de jogadores, entre outras", revelou Carlos Pereira, garantindo que, no fundo, "será uma reunião para falar sobre aquilo que de positivo se pode acrescentar ao futebol português para que o possamos melhorar".

O clima de tensão que se vive em Portugal em torno dos três grandes será também um dos pontos a abordar pelo já denominado G-15: "É lógico que o clima atual do futebol português também estará em debate", assegurou Carlos Pereira, um dos entusiastas deste movimento que, ao que o DN apurou, se iniciou há cerca de duas semanas, após a última jornada do campeonato e os acontecimentos do final do jogo entre Sporting e Sp. Braga, e a consequente troca de comunicados. Os bracarenses, o Boavista e o Belenenses foram os emblemas mais ativos na promoção desta reunião, tendo desenvolvido os primeiros contactos para que ela se realizasse.

Entretanto, Carlos Pereira fez questão de garantir ao DN que "não há qualquer clima de terror inerente a esta reunião", acrescentando tratar-se apenas de uma forma de sugerir "medidas estruturantes para o futebol português". O comunicado que sairá deste encontro terá como propósito a sugestão de medidas que possam vir a ser analisadas e votadas no âmbito da Liga, que é quem organiza as competições profissionais.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG