Presidente garante equipa em Aveiro e promete pagar

O presidente do Olhanense garantiu que a equipa de futebol vai apresentar-se no sábado em Aveiro, para defrontar o Beira-Mar, na 24.ª jornada da I Liga, e espera ter dinheiro para salários na próxima semana.

"Os jogadores optaram por ir almoçar e voltar às 15.00 horas para combinarmos a hora de saída para Aveiro. Vai haver jogo, isso é inequívoco", garantiu Isidoro Sousa aos jornalistas, depois de uma reunião com os jogadores, que têm três meses de salários em atraso.

Depois do pré-aviso de greve ao jogo com o Benfica, da 25.ª jornada, apresentado na quinta-feira, a equipa deveria ter viajado às 09:00 para Aveiro no autocarro do clube, mas após três horas de reunião com a direção, os jogadores abandonaram o estádio José Arcanjo, em Olhão.

Na reunião com o plantel estiveram também presentes o presidente da Câmara Municipal de Olhão, Francisco Leal, e o presidente da mesa da Assembleia-Geral do clube, Filipe Ramires.

"Tínhamos combinado até à próxima terça-feira para revelar aos jogadores se há ou não possibilidade de resolver a situação do clube. Ontem, fui surpreendido com esta tomada de posição", disse o líder do clube algarvio, que concede "total razão" aos jogadores.

O dirigente revelou que conta ter uma sociedade anónima desportiva (SAD) constituída na próxima semana, o que poderá originar a entrada de verbas por parte dos investidores com quem o clube está a negociar.

"A SAD está praticamente consumada, vamos ter o número de contribuinte na próxima semana. Com ela constituída, será mais fácil ter dinheiro. Os investidores existem, estamos a trabalhar em quatro 'tabuleiros' e tenho fé de que pelo menos um possa surgir e resolver a situação", disse Isidoro Sousa, sem esconder que, para já, tudo não passa de "promessas".

O presidente do Olhanense justificou a situação financeira do clube com a derrapagem nas obras no estádio, a perda de patrocínios e a redução de apoios da autarquia.

O dirigente, que tem sido alvo de contestação nas redes sociais, lamentou ainda que os seus opositores não tenham dado a cara: "As contas são auditadas e os orçamentos aprovados. Queria que dessem a cara e apresentassem soluções. Mas soluções, até agora, ninguém mas trouxe".

Isidoro Sousa promete ir "ao limite" das suas forças para resolver a situação e, depois, poder abandonar o clube "pela porta grande".

Na quinta-feira, o Sindicato dos Jogadores Profissionais de Futebol (SJPF) revelou, em comunicado, que a maioria dos jogadores do Olhanense não recebe qualquer renumeração desde dezembro do ano passado.

Se o clube não pagar um ordenado até às 15:00 horas de dia 5 de abril, os jogadores vão recorrer à greve, não comparecendo ao jogo da 25.ª jornada, contra o Benfica.

O Olhanense, treinado por Manuel Cajuda, ocupa atualmente o 15.º e penúltimo lugar do campeonato nacional, após um ciclo de dez jogos sem ganhar.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG