Nacional venceu Naval ao fim de três actos

Jogo adiado no domingo e suspenso na segunda-feira, devido ao nevoeiro, voltou a ter interrupções nesta terça-feira, mas lá conseguiu chegar ao fim, com Nuno Pinto a dar a vitória (2-1) aos madeirenses.

O Nacional venceu esta terça-feira a Naval 1.º de Maio, por 2-1, em jogo da 13.ª jornada da Liga portuguesa de futebol que ficou finalmente concluído, após dois adiamentos motivados pelo intenso nevoeiro na Madeira.
O encontro, previsto para domingo, foi adiado para segunda-feira e, depois de 54 minutos, foi interrompido e adiado para esta terça-feira.
Na segunda-feira, Camora marcou primeiro pela Naval, aos 14 minutos, e Claudemir empatou a partida aos 50 minutos, através de uma grande penalidade a castigar um pretenso derrube de Jorge Batista a Orlando de Sá, numa altura em que, desde a bancada, a baliza da Naval não era visível devido ao denso nevoeiro.
O jogo foi retomado na tarde desta terça-feira, mas ainda sofreu nova interrupção, que no entanto não foi definitiva, tendo no reatamento da partida o Nacional aproveitado para passar para a frente, com um tento de  Nuno Pinto, aos 77 minutos.
Aos 84 minutos, o árbitro Hugo Pacheco, que esta terça-feira contou com dois novos elementos na sua equipa, o auxiliar Sérgio Serrão e o quarto árbitro Marco Ferreira, teve que interromper o jogo, uma vez mais devido ao nevoeiro.
Escassos três minutos depois, e com condições mínimas de visibilidade, o jogo voltou a ser reatado, mas por pouco tempo, uma vez que o nevoeiro voltou a instalar-se na Choupana.
Finalmente, e com condições, a partida voltou a reatar-se e os escassos cinco minutos que faltavam para o fim foram passados com a Naval empenhada em chegar ao empate, mas em vão.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG