Henrique Calisto diz que empate em Coimbra seria "bom"

O treinador do Paços de Ferreira defendeu este sábado como prioridade voltar a não sofrer golos e admitiu que será positivo empatar na visita à Académica, no domingo, para a 15.ª jornada da I Liga.

Henrique Calisto disse que, na situação atual da equipa, num preocupante 15.º e penúltimo lugar da I Liga, "fazer pontos é sempre bom" e admitiu que o jogo de Coimbra "tem de ser encarado como uma final".

"É evidente que ninguém joga para empatar, mas precisamos de pontos e, nesta situação, fazer pontos é sempre bom. Estamos numa fase em que também temos inverter a situação dos golos sofridos e voltar a não sofrer golos. Trabalhamos para isso diariamente e temos criar essas rotinas", disse o técnico pacense.

Na antevisão ao encontro de domingo, o técnico deixou elogios à Académica, uma "equipa sólida" e, sublinhou, com "grande coesão defensiva".

"[A Académica ] É uma equipa sólida, com jogadores rápidos, que privilegiam as situações de contra-ataque, e revela grande coesão defensiva, como demonstrou frente a FC Porto e Sporting de Braga, em que conseguiu vitória. E essas refletem a forma como abordam os jogos", afirmou.

Calisto disse ainda que os "reforços" Buval e Dell Valle ainda não devem ser opções para o "onze", por necessitarem de tempo para a adaptação e renderem o que deles se espera, e admitiu estar mais preocupado com a recuperação pontual do Paços de Ferreira, comparativamente à situação da equipa aquando da sua passagem, em 2011/12.

"[Esta passagem pelo Paços de Ferreira] Está a ser mais complicada do que a anterior, mas guardo as razões para mim", disse o técnico, num tom enigmático, sem deixar de dizer que ainda espera "alguns" jogadores durante o mês de janeiro.

Henrique Calisto quer mais "reforços" e voltou a apontar as lacunas da equipa, precisando: "Só temos dois centrais, só temos dois pontas-de-lança e só temos três alas".

"O Grégory continua a trabalhar connosco, mas está à procura de clube", acrescentou.

Esta necessidade de "reforços" ajuda a perceber as dificuldades atuais da equipa, recentemente afastada dos quartos de final da Taça de Portugal, pelo Desportivo das Aves, da II Liga, por 2-1.

"Os grandes são aqueles que caem e conseguem ter forças pra se levantarem. Fomos eliminados também por culpa própria, apesar de termos jogado bem. A equipa precisa de ser mais pragmática, mais guerreira e lutadora para atingir os seus objetivos", concluiu.

O Paços de Ferreira, 15.º classificado com nove pontos, defronta a Académica, 12.ª colocada com 15, em Coimbra, no domingo, às 16:00, num encontro que será arbitrado por Cosme Machado, de Braga.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG