Estrela perto de fechar as portas

Administrador judicial tenta plano de recuperação do clube da II Divisão.

O futuro do Estrela da Amadora, cujo fecho das portas poderá ser decretado em Dezembro, está nas mãos do administrador judicial Paulo Elias de Sá Cardoso. O clube que se deu como falido - pediu a insolvência por não ter condições para pagar as suas dívidas, que totalizam 11,5 milhões de euros - depende agora do eventual plano de recuperação, que está a cargo do administrador judicial.

Nomeado pelo Tribunal de Sintra, no processo de insolvência, Paulo Sá Cardoso substituiu os corpos gerentes do Estrela da Amadora, pelo que o presidente do clube, António Oliveira está afastado das funções.

O administrador irá reunir-se nas próximas semanas com os vários credores do Estrela (Direcção-Geral de Impostos, Segurança Social, Engiwaall, Playpiso e SMAS, Pirbetão, antigos atletas, treinadores, funcionários).

O objectivo é analisar a verdadeira situação do clube e perceber se existem condições para o tornar viável. O eventual plano de recuperação será apreciado dia 16 de Dezembro em assembleia de credores.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG