Rússia reduz para seis estrangeiros nos seus clubes

O Governo da Rússia quer reduzir para seis o número de futebolistas estrangeiros nos clubes do país, como forma de potenciar a progressão dos jogadores russos, anunciou hoje o ministro do Desporto, Vitaly Mutko.

Atualmente atuam na Rússia futebolistas portugueses como Luís Neto e Danny (ambos no Zenit São Petersburgo, orientado por André Villas Boas), Manuel Fernandes (Lokomotiv de Moscovo), Hugo Vieira e Márcio Abreu (Torpedo de Moscovo).

O líder do campeonato russo, o Zenit São Petersburgo, por exemplo, conta com 12 estrangeiros no seu plantel: além dos dois portugueses, a equipa inclui o brasileiro Hulk, os belgas Witsel e Nicolas Lombaerts, o espanhol Javi García, o argentino Ezequiel Garay, o ucraniano Anatoliy Tymoshchuk, o colombiano Salomón Rondón bem como o sérvio Milan Rodic.

O ministro russo explicou que está em preparação uma lei para reduzir o número de jogadores estrangeiros nos vários campeonatos em todo o país.

"Queremos que os desportistas russos tenham um papel de primeiro plano nos clubes do país", indicou Vitaly Mutko à agência de notícias russa ITAR-TASS.

Nos clubes de futebol a ideia é reduzir o número de estrangeiros a seis. Nos clubes de hóquei no gelo, voleibol e basquetebol a três estrangeiros.

Em maio, o selecionador de futebol da Rússia, o italiano Fabio Capello, declarou que o número elevado de estrangeiros nas equipas russas estava a reduzir significativamente o "viveiro" de jogadores russos selecionáveis para as competições internacionais.

Segundo o ministro do Desporto, a lei deverá estar pronta no início do próximo ano e visa, sobretudo, um objetivo: tornar a seleção nacional russa mais competitiva, com vista ao campeonato do Mundo de futebol que o país vai organizar em 2018.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG