Romário exige demissão do presidente da CBF

O ex-internacional brasileiro quer que José Maria Marin se demita por alegada ligação ao homicídio de Vladimir Herzog, antigo jornalista, durante a ditadura militar.

O antigo internacional brasileiro Romário, atualmente deputado federal, figura entre os 55 000 signatários da petição que exige a demissão do presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), José Maria Marin.

Em causa estão as alegadas ligações de Marin ao homicídio de um jornalista durante a ditadura militar.

"Formalizei, em conjunto com Ivo Herzog e a deputada federal Jandira Feghali, a petição 'Fora Marin'", escreveu Romário na sua conta do Twitter.

Ivo Herzog é filho de Vladimir Herzog - jornalista assassinado por agentes da ditadura militar, que dominou o país entre 1964 e 1985 - e mentor, desde fevereiro, desta petição, distribuída pelos 27 estados brasileiros, federações e 20 clubes de elite.

Segundo a imprensa brasileira, Ivo Herzog lançou esta petição quando soube que Marin, na altura deputado, exigiu, em 1975, medidas de regulação da comunicação social, principalmente apontadas ao canal de televisão onde Vladimir Herzog trabalhava.

A CBF já reagiu em comunicado a esta iniciativa, negando todas as acusações a José Maria Marin. "Qualquer um, com o mínimo de boa fé, facilmente conclui que as acusações feitas por alegados jornalistas são absolutamente falsas", escreveu o organismo na missiva.

Mais Notícias