Polícia faz novas buscas na casa de Bruno

A ex-namorada do guarda-redes do Flamengo continua desaparecida. As autoridades fizeram uma reconstituição da última noite e vasculharam especialmente um quarto à procura de cabelo, unhas e vestígios de sangue

A polícia brasileira fez ontem à noite uma espécie de reconstituição da última noite em que Eliza Samudio, ex-amante do guarda-redes brasileiro Bruno que está desaparecida desde Junho, foi vista em casa do guardião, que se encontra detido por alegadamente estar envolvido na morte da rapariga.

As autoridades vasculharam a casa do ex-futebolista do Flamengo durante várias horas e contaram com a colaboração de Sérgio Rosa Sales, primo do guarda-redes que denunciou o alegado assassínio. 'Vamos aguardar o resultado dos exames para dizer qualquer coisa, declarou à saída a delegada Alessandra Wilke.

Cerca de 30 agentes da Delegacia de Homicídios mineira, além de vários peritos, participaram nas buscas e concentraram-se num dos quartos do primeiro andar da casa, à procura de cabelos, bocados de unhas e vestígios de sangue. O local, segundo os investigadores, teria servido como cativeiro para Eliza Samudio.

A polícia, entretanto, ainda investiga a participação de uma 11.ª pessoa no alegado crime, que teria ajudado a esconder o corpo de Eliza.

Mas as buscas não foram apenas na casa do guarda-redes. Com o auxílio dos bombeiros, a polícia vasculhou e fez escavações num terreno baldio próximo do condomínio Recanto Verde, em Ribeirão das Neves, em Belo Horizonte. Mas nada foi encontrado.

No dia 24 de Junho, a polícia recebeu denúncias anónimas que apontavam no sentido de Eliza ter sido espancada por Bruno e dois amigos até a morte na casa do jogador, em Esmeraldas, na Grande Belo Horizonte. Durante a investigação, testemunhas confirmaram às autoridades terem Eliza, o filho e Bruno no local.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG