Parreira compara os 7-1 do Brasil-Alemanha ao 11 de setembro

O antigo selecionador e também ex-coordenador técnico do Brasil considera que a derrota por 7-1, frente à Alemanha, no Mundial 2014, é comparável aos atentados do 11 de setembro.

Carlos Alberto Parreira, antigo selecionador do Brasil e ex-coordenador técnico na Confederação Brasileira de Futebol (CBF), comparou a dolorosa derrota da seleção brasileira diante a Alemanha, por 7-1, ao atentado terrorista de 11 de setembro de 2001.

"Foi um apagão, um descontrolo total da equipa. Não há forma de explicar. A nossa equipa era boa, não era a melhor, mas não era para ter sido o 7-1. Não dá para sentires nada, não consegues acreditar. É igual à queda das torres gémeas, quando caiu a primeira ninguém conseguiu acreditar, todos achavam que era ficção. Eu achava que ia parar no quinto golo. Ao intervalo as coisas mudaram. Criámos boas oportunidades, mas o Neuer fez grandes defesas", disse Parreira, durante o programa de televisão Redação SporTV.

Na opinião do antigo treinador, de 71 anos, campeão do Mundo em 1994, a seleção não teve muito tempo de preparação para o Mundial 2014. Foram apenas 14 dias, segundo Carlos Alberto Parreira, afirmando ainda que muitos dos selecionados por Scolari estavam fora de forma:

"Jogadores como Paulinho, David Luiz, Willian e Oscar eram praticamente reservas e não jogavam muito. Fred estava machucado, ficou um período longo sem jogar. Jô tinha altos e baixos. Vários jogadores não estavam no seu melhor momento físico. Daniel entrava e saía no Barcelona. Marcelo saía no Real. São sete jogadores. Como íamos trocar? Mas já estavam habituados ao esquema. Foi pouco tempo para preparar uma seleção para uma Copa que foi muito intensa."

Ainda sobre o jogo com a Alemanha, Parreira coloca-o na extensa lista de factos que acontecem imprevisivelmente em todos os Mundiais e que dificilmente se repetirão.

"Aconteceu, foi um desastre, desiludiu-nos a todos: jogadores, adeptos... Mas foi aleatório, nunca mais vai acontecer novamente. Nunca aconteceu numa semifinal, ainda mais com o Brasil, dono da casa",disse.

Parreira revelou também qual foi a reação de Luiz Felipe Scolari ao intervalo, quando o Brasil perdia por 5-0 com a Alemanha - vencedora do Mundial 2014:

"Felipão foi muito claro: 'Não quero ficar à espera da Alemanha, quero sair para o ataque. O que vocês acham?'. É importante que o jogador também dê a sua opinião. Foi uma decisão quase que coletiva."

Mais Notícias

Outras Notícias GMG