O clube do leite e do iogurte já nem tem dinheiro para ir a jogo

Os tempos de glória no império Parmalat já lá vão. Agora, sem dinheiro sequer para pagar os seguranças dos jogos, pode ser desqualificado da liga italiana. Partida com a Udinese teve de ser adiada

O dia mais triste da história do Parma. É esta a designação que os adeptos do clube italiano deram ao que aconteceu ontem no Estádio Ennio Tardini, onde os parmegianos deviam ter recebido a Udinese, em jogo a contar para a 24.ª jornada da Série A. Desta vez as bancadas e o relvado ficaram vazios porque não havia dinheiro para pagar aos stewards e, como tal, a segurança não estava garantida. Em vez disso, cerca de mil adeptos manifestaram-se nas ruas com tarjas na porta do estádio que diziam "fechado por roubo", além de pedirem a demissão do atual presidente Giampietro Manenti. "Vai-te embora", diziam em uníssono.

Este é mais um episódio dramático de um clube nas ruas da amargura, cujos jogadores, entre os quais o português Silvestre Varela (emprestado pelo FC Porto), não recebem salários desde julho e a direção do clube até já pediu à federação italiana para jogar os seus jogos à porta fechada, para reduzir os custos.

Leia mais na edição impressa ou no e-paper do DN

Mais Notícias

Outras Notícias GMG