James fechou a maior vitória da Colômbia em Mundiais

Mesmo sem a super estrela lesionada Falcao, a seleção colombiana cumpriu expectativas na estreia neste Mundial e venceu folgadamente a Grécia de Fernando Santos (3-0). Com direito a coreografia especial e tudo.

Mesmo sem uma exibição deslumbrante, mas bastante confortável perante uma Grécia que mostrou preocupantes limitações, a Colômbia assinou a sua maior vitória de sempre em Mundiais de futebol, por 3-0.Foi a primeira vez que marcou três golos num campeonato do mundo desde o empate a 4-4 com a URSS em 1962.

Armero, Teo Gutierrez e o ex-portista James fizeram os golos que compuseram o resultado final, num jogo em que a Colômbia reforçou estatuto de candidata a protagonista nesta prova, mesmo sem ter deslumbrado.

Um golo madrugador de Armero, aos 6 minutos, marcou o perfil do jogo - além de ter proporcionado a mais exótica celebração de golo deste Mundial até este jogo. A partir daí, a Grécia de Fernando Santos teve de assumir a posse de bola, enquanto os colombianos se tornaram essencialmente pragmáticos, numa inversão dos papéis projetados para esta partida.

A seleção grega porfiou mas revelou dificuldades nessa tarefa ofensiva e só em cima do intervalo ameaçou seriamente o empate, evitado por Ospina a remate de Kone.

Na segunda metade, os colombianos voltaram a marcar relativamente cedo, pelo avançado do River Plate Teofilo Gutierrez, que desviou um canto ao segundo poste. E a partir daí o jogo ficou definitivamente confortável para o conjunto sul-americano, que ainda aumentou a vantagem através do ex-portista James já em tempo de compensação, numa altura em que também o melhor marcador das últimas duas edições da liga portuguesa, Jackson Martinez, estava em campo.

No final, os 3-0 para a Colômbia podem parecer algo excessivos perante as restantes estatisitcas, como 13-11 em remates e 48-52 em posse de bola. Mas aconteceram de forma perfeitamente natural.

FILME DO JOGO

90+3 - GOLO COLÔMBIA. 3-0. JAMES RODRÍGUEZ. Ainda há tempo e espaço neste jogo para um golo de James Rodríguez. O ex-portista, agora no Monaco, fechou a vitória colombiana com um belo remate de pé esquerdo na área grega, após uma bela jogada da seleção cafetera que começou numa desatenção de um jogador grego, que ficou a reclamar uma falta assinalada pelo árbitro e deixou escapar Zuniga. Este combinou com Cuadrado, que endossou num ligeiro toque de calcanhar a bola até James e o ex-portista ajeitou o remate com o pé esquerdo para o cantinho da baliza de Karnezis, que ainda tocou na bola.

- Parece escrita a história deste primeiro jogo do grupo C neste Mundial. A Colômbia vai gerindo sem problemas os minutos ifnais da partida, perante uma Grécia incapaz de ameaçar seriamente a baliza de Ospina.

82' - Torosidis cai na área, mas o árbitro manda jogar.

79'- VINTAGE TIME. Substituição na Grécia. Sai Kone, entra Karagounis, que aos 37 anos aumenta para 136 internacionalizações o recorde absoluto de jogos pela seleção grega, detido pelo ex-benfiquista. Foi figura da Grécia campeã da Europa em 2004, em Portugal.

77' - E Arias tenta a sua sorte, mas o atrevimento não dá frutos.

75' - Substituição na Colômbia. Sai Teo Gutierrez, entra Jackson Martinez. Pekerman esgota as alterações a entrada para o último quarto de hora da partida e dá por fim entrada a Jackson Martinez. Depois de Armero, também o autor do segundo golo colombiano vai descansar.

74' - Substituição na Colômbia. Sai Armero, entra Arias. O homem do primeiro golo colombiano - e que nos proporcionou uma bela dança, relembre-se - sai para entrar o ex-sportinguista Santiago Arias, que consegue entrar em campo antes dos portistas Jackson e Quintero neste Mundial.

68' - Substituição na Colômbia. Sai Aguilar, entra Mejía. Jose Pekerman começa a refrescar a equipa na gestão da vantagem.

64' - Substituição na Grécia. Depois da perdida escandalosa, Gekas só podia mesmo sair do jogo. Dá lugar a Mitroglou, avançado que foi revelação grega na primeira metade da época, ao serviço do Olympiacos (que eliminou o Benfica na fase de grupos da Liga dos Campeões), e que foi depois completa desilusão na segunda metade, a partir de janeiro, nos ingleses do Fulham, onde praticamente não jogou, entre lesões e opções.

63' - Que perdida para a Grécia! Gekas, com a baliza aberta à sua frente, cabeceia à trave já na pequena área após cruzamento de Torosidis.

58'- GOLO COLÔMBIA . 2-0. TEO GUTIERREZ. Teve efeito imediato a substituição de Fernando Santos, mas não propriamente o desejado. A Colômbia amplia a vantagem com um golo de Teófilo Gutierrez, um avançado do River Plate tão conhecido pela sua qualidade na área como pelo seu mau feitio. Teo Gutierrez desviou ao segundo poste um canto apontado por James Rodriguez. E Fernando Santos vai ter de voltar a rever os planos.

58' - Fernando Santos aproveita o cartão para fazer a primeira substituição: sai Salpingidis e entra Feftazidis, médio do Génova.

55' - Salpingidis, autor do primeiro golo da Grécia na história dos Mundiais (na vitória por 2-1 à Nigéria, em 2010), vê o amarelo.

53' - Sokratis vê amarelo e provoca livre perigoso que James fez estatelar na barreira

- As câmaras da realização deste encontro mostram o grande ausente deste jogo nas bancadas: Radamel Falcao, acompanhado do central Perea, também excluido do Mundial por não ter recuperado totalmente de lesão.

50'- James Rodriguez tentou esfregar a lâmpada mágica do seu pé esquerdo, numa boa incursão individual pelo centro do relvado, mas o disparo forte saiu em direção à figura do guarda-redes grego, que afastou o perigo.

47 ' - Samaras cai na área colombiana. Mas de forma tão mal ensaiada que o próprio abana com o dedo a assumir que não há penálti, para se poupar ao amarelo.

46' - Recomeça a partida no Mineirão.

INTERVALO: A Colômbia marcou e descansou. Ao intervalo, a Grécia de Fernando Santos ganha por 59-41 em posse de bola e por 7-4 em remates. No que realmente interessa, golos, perde por 1-0, graças ao golo madrugador do colombiano Armero, que deu origem à melhor celebração deste Mundial até agora. Mas os sul-americanos cederam demasiado a iniciativa do jogo desde essa altura, remeteram-se aos contra-golpes oportunistas e podiam ter visto a Grécia empatar mesmo aos 45', valendo Ospina a salvar o remate de Kone, um grego de disparo fácil.

45'- Ospina nega golo a Kone. Bola sobrou para o médio grego, à entrada da área, após um ataque da sua seleção, mas o guarda-redes colombiano voou para desviar o remate de Kone e evitar o empate mesmo sobre o intervalo.

- Ex-benfiquista Katsouranis vai orientando a circulação de bola no meio-campo grego, mas sem produtividade. No banco está outro ex-benfiquista: o 'eterno' Karagounis, já com 37 anos.

38'- Oportunidade para o ex-portista James, que rematou de primeira dentro da área grega, mas por cima.

- Mais um pormenor sobre o golo de Armero, oferecido pelas estatísticas da ESPN. A Colômbia foi de uma ponta à outra do relvado em apenas dez toques nessa jogada.

- Nesta altura a Grécia detém 57% de posse de bola e seis remates, contra apenas 2 da Colômbia. Os gregos assumiram a despesa do jogo, com os sul-americanos a tentarem aproveitar os espaços para contra-ataques.

31'- Avançadpo colombiano Teo Gutierrez, que em tempos foi associado ao FC Porto, sangra do sobrolho e tem de ser assistido na linha lateral.

28'- Torosidis ameaçou o empate para a Grécia, com um cabeceamento que saiu um pouco ao lado, após livre cruzado por Holebas

26' - Sai o primeiro cartão amarelo do jogo, para o colombiano Sanchez, que travou em falta um contra-ataque grego conduzido por Samaras.

- O golo de Armero foi, naturalmente, o primeiro da Colômbia em Mundiais de futebol no século XXI. O último dos cafeteros em campeonatos do mundo tinha sido marcado por Preciado, na vitória por 1-0 frente à Tunísia, em 1998. O único, de resto, dos colombianos nesse Mundial de França.

- A Grécia vai revelando dificuldades para criar problemas à defensiva da Colômbia, em posse de bola, na reação à desvantagem.

7' - Grécia podia ter empatado a partida logo de imediato, num remate perigoso de Kone.

- Armero, de resto, já tem fama de dançarino exótico nos festejos de golos, como pode provar neste vídeo aqui, sobre um golo no Palmeiras em 2010.

- E a dança de celebração do golo da Colômbia promete desde já animar as redes sociais

6' - GOLO COLÔMBIA. 1-0. ARMERO. Não demorou muito a Colômbia a demonstrar superioridade neste encontro. Depois de um par de ameaças, uma incursão de Cuadrado pela direita desorientou a defesa grega e encontrou Armero solto no coração da área, a rematar rasteiro para o golo.

- Fernando Santos também promoveu algumas escolhas pouco esperadas, como a aposta no veterano Gekas para o centro do ataque, em detrimento de Mitroglou (prejudicado talvez pela escassa utilização no Fulham, na segunda metade da época).

- Jose Pekerman, o argentino selecionador colombiano,surpreendeu com a inclusão de Ibarbo no ataque, deixando o portista Jackson Martinez e o homem do Sevilha Carlos Bacca no banco. Tal como Quintero, o outro jogador do FC Porto nesta seleção.

- Já se joga no Estádio Mineirão, em Belo Horizonte

Onzes iniciais:

Colômbia - Ospina; Zuniga, Zapata, Yepes, Armero; Aguilar, Sanchez; Ibarbo, James, Cuadrado; Teo Gutierrez.

Grécia - Karnezis; Torosidis, Sokratis, Manolas, Holebas; Katsouranis, Maniatis, Kone; Salpingidis, Gekas, Samaras.

Árbitro:Mark Geiger (Estados Unidos)

Lançamento do jogo

O Grupo C do Mundial de futebol do Brasil arranca este sábado em Belo Horizonte, com a estreia de uma das seleções sobre a qual recaem mais expectativas neste campeonato: a Colômbia, que mesmo sem a grande estrela Radamel Falcao tem uma geração de jogadores de grande qualidade que a colocam como candidata a uma boa campanha na prova.

No primeiro jogo, os colombianos têm pela frente a seleção grega, orientada pelo treinador português Fernando Santos e que procura no Brasil melhorar a imagem das suas participações em campeonatos do mundo. A Grécia tem uma vitória apenas em seis jogos realizados, nas duas participações até agora: em 1994 e em 2010. A vitória foi obtida frente à Nigéria, por 2-1, na segunda partida do África do Sul 2010, mas não evitou outra eliminação na primeira fase, tal como acontecera nos EUA 1994, mas então com três derrotas em três jogos.

Para a Colômbia este é um regresso a Mundiais de futebol 16 anos depois da presença no França 1998, que assinalou o ponto final na anterior geração dourada colombiana, liderada por nomes como Carlos Valderrama ou Faustino Asprilla.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG