Há um novo açor a marcar golos para orgulho do pai Pauleta

40 mil adeptos presentearam ontem o melhor marcador da história do PSG. O jogo entre os amigos de Pauleta e o PSG acabou empatado (7-7). Açor  marcou alguns e foi substituído pelo filho, que brindou o pai com dois golos.

O Parque dos Príncipes recebeu o Jubileu de Pauleta e viu nascer um novo açor para o futebol. André Pauleta de 13 anos, o filho de Pauleta, que emocionou o pai ao marcar dois golos em 5 minutos perante 40 mil adeptos. O PSG e os amigos de Pauleta empataram (7-7). "O PSG deu-me oportunidade de dizer obrigado aos adeptos, franceses, portugueses, a toda a gente que me apoiou. Eles são realmente especiais", agradeceu o português no final.

O momento da tarde foi quando o melhor marcador de sempre da selecção portuguesa (47 golos) e do Paris Saint-Germain (109) foi substituído aos 84 minutos. Ouviram-se aplausos e o português não escondeu a emoção quando passou o testemunho ao filho. No minuto seguinte, André mostrou que a habilidade para os golos é hereditário. Pouco depois fez o passe para outro tento e fechou a contagem para o PSG, com um chapéu ao guarda-redes, que deixou o pai emocionado.

Fernando Couto, Nuno Gomes, Hélder Cristóvão, Luís Cavaco, Djorkaeff, Rocheteau, Kezman, entre muitos outros colegas e amigos, não faltaram ao jogo de homenagem ao açoriano, que continua a ser embaixador do PSG.

Apesar de nunca ter actuado na principal divisão do futebol português, Pedro Miguel Carreiro Resendes, conhecido como Pauleta, representou o União Micaelense, Estoril, Salamanca, Corunha, Bordéus e Paris Saint-Germain.

Ontem, os adeptos agradeceram os golos, a humildade e quiçá um sucessor : "Merci Pedro!", "Obrigado Monsieur Pauleta!"

Mais Notícias

Outras Notícias GMG