Bruno implica amigo na morte da ex-amante

O ex-guarda-redes do Flamengo, Bruno Fernandes, preso por supostamente estar envolvido na morte da sua ex-amante Eliza Samudio, implicou o amigo 'Macarrão' no crime e alegou inocência, divulgou hoje a imprensa brasileira.

Segundo o jornal Folha de São Paulo, Bruno Fernandes disse que ficou chocado com as atitudes tomadas pelo amigo e afirmou que não sabia o que estava a acontecer a Eliza Samudio.

Estas declarações foram feitas durante o voo em que foi transferido do Rio de Janeiro para uma cadeia em Minas Gerais, tendo sido divulgadas pelo programa "Fantástico", da Rede Globo, que teve acesso ao vídeo.

Nas imagens, o guarda-redes disse que se assustou quando viu o filho de Eliza - a modelo lutava na justiça para provar que a criança era também filha de Bruno Fernandes - com Macarrão e perguntou o que estava a acontecer.

Segundo o futebolista, Macarrão disse ter dado dinheiro a Eliza e que a modelo deixou a criança e abandonou o local.

Como tinha de se apresentar no Flamengo, Bruno Fernandes terá chamado a ex-mulher, Dayanne de Souza, para o ajudar com o bebé.

Bruno Fernandes disse ainda que achou que Eliza - com quem manteve um relacionamento amoroso - estaria a preparar alguma nova 'armadilha', referindo-se às acusações de ter forçado a modelo a ingerir medicamentos abortivos meses antes.

'Estive com ela e com uns amigos. Ela ficou comigo e com uns amigos também. Estive com ela só uma vez e foram só 20 minutos. Eu disse que se o filho fosse meu eu assumiria", afirmou.

Na denúncia de agressão apresentada por Eliza Samudio, meses antes do seu desaparecimento, a modelo disse que teve um relacionamento com o guarda-redes durante três meses e que Bruno Fernandes teria proposto um acordo para que fizesse um aborto.

O teste do laboratório indicou que Eliza tinha ingerido um medicamento abortivo.

O guarda-redes referiu que na altura mandou Macarrão negociar um acordo com Eliza porque não conversava mais com a modelo e que o acertado seria que pagaria uma pensão mensal de 3500 reais (1500 euros), além do aluguer de um apartamento, totalizando 6000 reais (2600 euros).

Bruno Fernandes disse também que a amizade com Macarrão era de mais de 18 anos e que este cuidava de todos os seus negócios, inclusive da administração de seus bens, para que só se preocupasse com o futebol.

'Não sei o que deu na cabeça do Macarrão. Hoje, com tudo o que aconteceu, é difícil acreditar nele', atirou o guarda-redes.

A jovem desapareceu no início de Junho e as investigações da polícia brasileira, juntamente com uma confissão de um dos alegados envolvidos, levaram o caso até Bruno, com a acusação de que terá mandado raptar e matar Eliza Samudio.

Desde 07 de Julho que o guarda-redes, a sua mulher, dois primos e outras quatro pessoas se encontram detidos, por suspeita de participação no crime.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG