Foi descoberto em excursão e agora levou Portugal à final

Europeu de sub-17. José Gomes apontou já sete dos 14 golos apontados na fase final. Ontem voltou a ser decisivo frente à Holanda (2-0)

José Gomes é sinal de golos. E de sucesso para a jovem seleção de sub-17. Ontem marcou mais um no Europeu da categoria, que se realiza no Azerbaijão, e ajudou a turma das quinas a chegar à final. Soma sete dos 14 apontados por Portugal nesta fase final e parece imparável. Natural da Guiné-Bissau, foi descoberto pelo Benfica numa excursão por aquele país africano.

Depois dos dois golos ao Azerbaijão, um à Escócia e três à Áustria, ontem José Gomes, de 17 anos, marcou o primeiro no triunfo por 2-0 sobre a Holanda, em partida das meias-finais totalmente dominada pela seleção portuguesa, que no segundo tempo matou o jogo com um golo de Dalot.

Mas quem é este jovem prodígio que tem encantado tudo e todos neste Campeonato da Europa? É exatamente o mesmo que tem destilado classe na Liga dos Campeões de juniores (25 golos em 28 jogos), apesar de ter idade de juvenil, e também no campeonato nacional do seu escalão.

Chegou a Portugal em 2012, depois de os encarnados o terem descoberto numa excursão à procura de talentos pela Guiné-Bissau. Não demorou a demonstrar as suas credenciais e aos 16 anos, concretamente em 2015, assinou um contrato profissional já depois de a seleção nacional ter pedido a sua naturalização para poder representar Portugal, o que começou a fazer com 14 anos.

Agora espalha magia neste Campeonato da Europa de sub-17, no qual é apontado como a principal estrela, colocando também Portugal como favorito para a final (marcada para domingo frente à Espanha, que ontem venceu a Alemanha por 2-1), segundo os críticos. Mas já antes os números de José Gomes eram impressionantes. Em seis jogos da fase de apuramento Portugal marcou 20 golos (cinco vitórias e um empate) e o jovem avançado apontou cinco desses. Se somarmos os 14 nesta fase final chegamos a um número redondo de 34 em 11 jogos. E José Gomes apontou 12 desses 34.

Não é de estranhar, por isso, que clubes como o Manchester United ou o PSG tinham sido colocados no seu radar. O Benfica, para já, não admite desfazer-se da sua principal pérola da formação, até porque acabou de encaixar 35 milhões com Renato Sanches. Mas se os elogios a José Gomes e ao ataque da seleção são mais do que muitos, a defesa também não fica atrás, sobretudo pelo facto de não sofrer golos há 400 minutos - o último foi contra a Croácia na Ronda de Elite, na vitória por 4-2.

Hélio Sousa muito confiante

É também perante estes números que Hélio Sousa, selecionador nacional, acredita no sucesso desta equipa para a final do próximo domingo. "Sabemos que não podemos errar e temos de continuar a entregar tudo o que entregámos anteriormente para estar muito perto de vencer novamente. Hoje [ontem] voltámos a consegui-lo, com exigências e dificuldades diferentes criadas pelo adversário", disse o treinador, elogiando depois o grupo de trabalho.

"Temos encontrado jogadores com uma disponibilidade total para aprenderem, evoluírem e serem melhores amanhã. Temos sido competentes e queremos continuar a ser competentes. Estamos na final. Os adversários que se esforcem para se baterem connosco", referiu Hélio Sousa, que há dois anos levou também os sub-20 à final do Mundial.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG