Fernando Santos: "Era este o arranque que queria mas não passou de uma vitória"

Selecionador português analisou vitória de Portugal sobre a Hungria na estreia nacional no Campeonato da Europa

Fernando Santos mostrou-se satisfeito com o triunfo de Portugal sobre a Hungria (3-0) no arranque do Euro 2020, mas salientou que "não passou de uma vitória".

"Era este o arranque que queria, mas não passou de uma vitória. Nesta fase é uma prova de regularidade", afirmou na zona de entrevistas rápidas, em alusão aos dois jogos que faltam na fase de grupos, frente a Alemanha e França.

"Se marcássemos mais cedo podia ter sido mais fácil para nós, mas Portugal empurrou empurrou e empurrou durante a primeira parte. Na segunda parte voltámos a entrar bem, mas acusámos alguma ansiedade. Depois voltámos a circular bem, fizemos o primeiro golo, começaram-se a abrir espaços, marcámos mais vezes e acabou por ser um resultado justo", analisou o selecionador português.

Questionado sobre a eficácia das substituições, nomeadamente as entradas de Rafa e Renato Sanches, o técnico diz que "nem sempre sai" como se quer, mas explicou que "queria meter o Cristiano Ronaldo mais na esquerda e colocar dois jogadores no meio que pudessem levar a bola para a frente".

Mais tarde, na conferência de imprensa, Fernando Santos disse que "o golo que está caro" no futebol atual e reiterou que Portugal fez um "jogo muito bom" e alcançou uma vitória justíssima, frisando que a equipa das quinas conseguiu condicionar a forma de jogar na Hungria.

O selecionador português explicou que colocou a jogar Rafa, que esteve envolvido nos três golos, porque queria dar mais "verticalidade com bola" à equipa.

Já apontado ao jogo da Alemanha, Fernando Santos diz esperar um jogo muito difícil frente a uma seleção com jogadores com "muita qualidade", garantindo que as duas seleções se irão respeitar.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG