Fernando Santos: "Achar que Portugal é favorito na Alemanha é passar do limite"

Portugal joga no sábado com a Alemanha (17.00, TVI e Sport TV). Um triunfo coloca o campeão da Europa nos oitavos de final. Nuno Mendes é baixa.

Portugal joga amanhã com a Alemanha, na segunda jornada do Grupo F do Euro 2020. Olhando para as contas do grupo (Portugal e França com três pontos, Alemanha e Hungria com zero) o empate não é mau resultado... mas o mister nunca compra empates: "O nosso objetivo não é empatar, é procurar vencer."

O selecionador nacional alertou ainda para o perigo de se passar do 8 para o 80. Ou seja, ver Portugal como favorito contra a Alemanha, só porque os alemães perderam com a França. "Eu acho é que Portugal, a partir de certo momento, passou a ser mais respeitado. Outras seleções tinham consideração por Portugal, mas no fundo acreditavam que eram mais fortes. Agora não há nenhuma equipa no Mundo que vai defrontar Portugal e que vá vencer facilmente. Agora passar para o lado oposto... Esta equipa da Alemanha é uma equipa fantástica, tipo rolo compressor. Não tenho medo da Alemanha, mas as equipas vão respeitar-se. Achar que Portugal é favorito contra a Alemanha na Alemanha é passar do limite", analisou o técnico.

Para ganhar, a seleção tem de ser muito forte em todos os momentos, ser capaz de defender muito bem e criar oportunidades: "Se estivermos atentos ao jogo da Alemanha com a França vimos que empurraram a França. O resultado final retira um pouco o que foi o jogo. É um jogo muito importante para nós. Queremos ter bola e não perdê-la muitas vezes."

Via manter o onze ou este jogo merece uma abordagem diferente e Renato Sanches pode ser titular? "Não se pode comparar Hungria com a Alemanha. Jogam de forma diferente. A qualidade individual não tem nada a ver com nada. Não sei qual é a comparação possível. Vamos colocar todas as qualidades em campo", respondeu Santos.

Para o selecionador português, "o jogo da profundidade da Alemanha, mesmo em ataque organizado, surpreende os adversários na profundidade com passes de Kroos, por exemplo. O jogo é repartido entre ter bola e não ter bola ou transições. Uma arma fundamental é ter bola e obrigá-los a tê-los longe da baliza".

Depois da derrota com a França na estreia (1-0 e dois golos anulados a França), os adeptos preferiam que Joaquim Low mudasse a linha de defesa de três para quatro: "O jogo com a França, vi com muita atenção, houve momentos em que Kimmich jogou mais dentro de forma dinâmica e sem o papel de jogar de uma outra forma. Podem jogar no 4x3x3 ou no 3x4x3. Temos de estar preparados para o que o adversário nos apresentar."

Do lado português, "Nuno Mendes não está em condições de participar no jogo". Quanto à motivação do capitão... "Não pode só motivar o Cristiano Ronaldo, tem de motivar a equipa toda. Ter Ronaldo é muito bom e é um orgulho, mas sozinho não ganha jogos. Tem de motivar os que jogam de início e os que entram depois. Motivação e vontade de ganhar e que vem da alma é muito importante, mas é preciso saber como ganhar. Se jogarmos só com o coração não vamos lá", avisou o engenheiro, recusando responder a questões mais individuais sobre Raphael Guerreiro e Rúben Dias.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG