Novo fracasso vale lenços brancos no Dragão

FC Porto perde quatro pontos em duas jornadas. Desta vez, 30 remates e 77% de posse de bola não chegou para disfarçar mais uma pálida imagem do Dragão de Paulo Fonseca.

O FC Porto desperdiçou quatro pontos de vantagem sobre os rivais em duas jornadas, desta vez ao ceder um empate a um golo na receção ao Nacional, num jogo que valeu mais uma assobiadela monumental da massa adepta. Não há memória de um FC Porto assim, tão inseguro e impotente, mesmo num jogo em que estatisticamente "esmagou" o adversário.

Olhar para a estatística diz que o empate é um resultado inacreditável: 77% de posse de bola para o FC Porto, 30 remates contra oito, 17 pontapés de canto, 63 ataques e Gottardi, guarda-redes do Nacional, como o melhor em campo. "Injustiça" pode ser a palavra encontrada por Paulo Fonseca, mas essa é a fatura habitual para a ineficácia e/ou incompetência.

A primeira parte, é certo, mostrou um pouco do melhor FC Porto da época, ainda que a fasquia não esteja muito alta. Não tivesse existido tamanha ineficácia na hora de finalizar e o resultado, certamente, não seria o nulo ao intervalo. No entanto, numa equipa tão órfã de criatividade, objetividade e capacidade para concretizar o que tão boas e tantas vezes construiu, a supremacia foi-se perdendo.

Jackson Martínez até parecia ter descoberto o caminho para a vitória, aos 52 minutos, quando finalizou o cruzamento de Danilo, uma vez mais a disfarçar a pouca produtividade de um ataque cujas exibições "imploram" a chegada de reforços no mercado de inverno, com a certeza de que já virão com atraso. No entanto, a imagem de um FC Porto mandão, autoritário e que controlava vantagens, mesmo tangenciais, como ninguém tem sido, durante a era Paulo Fonseca, uma miragem.

A oito minutos dos 90', uma tremenda falha de Otamendi, mais uma, permitiu a Mateus isolar-se e atirar à baliza de Helton, que só tinha feito uma defesa em todo o jogo; Otamendi ainda tirou a bola sobre a linha de baliza, mas Rondón não perdoou. Em desespero, Jackson Martínez teve a vitória nos pés, aos 90+3', mas já nem o colombiano consegue o que tantas vezes alcançou na época passada: salvar o FC Porto.

Filme do jogo:

90+4' Final do jogo!

90+4' Fernando desperdiça a última ocasião de golo do jogo.

90+3' Helton foi à grande área adversária cabecear ao lado do alvo!

90+3' Jackson Martínez falha! Completamente isolado por Lucho, Jackson vê Gottardi evitar o 2-1 com uma defesa candidata a melhor da época e que vai valer um ponto.

90+1' Remate de Lucas João, ao lado do alvo. O Nacional poderia ter feito aqui o 2-1...

90' Quatro minutos de compensação...

90' Defesa de Gottardi, após pontapé de Quintero.

89' FC Porto ataca em desespero, mas o Nacional vai mantendo a bola longe da sua grande área.

87' Substituição no FC Porto. Saiu Herrera e entrou Ricardo.

86' A barreira do Nacional desvia o livre de Quintero para canto, mas é assinalado pontapé de baliza.

85' Vários adeptos vão abandonando o Dragão. São - a confirmar-se este 1-1 - quatro pontos perdidos em duas jornadas.

82' GOLO DO NACIONAL! MARIO RONDÓN FAZ O 1-1! O FC Porto permitiu que o Nacional invadisse o seu meio-campo em velocidade; Mateus "sentou" Danilo e viu Otamendi tirar a bola sobre a linha de baliza, mas na recarga Rondón não perdoou. Paulo Fonseca abre os braços em sinal de desalento e impotência.

80' Pontapé de Herrera, à entrada da grande área, para as nuvens.

79' Licá cruza bem, mas não aparece ninguém para a finalização.

78' Herrera tenta o cruzamento/remate, mas não saiu nem uma coisa, nem outra.

76' Substituição no FC Porto. Saiu Silvestre Varela e entrou Licá.

75' Defesa de Helton, após remate de João Aurélio.

74' Paulo Fonseca chama Licá e prepara a segunda alteração.

73' Livre mal marcado por Danilo. Passou o perigo para o Nacional.

72' Cartão amarelo para Zainadine, por derrubar Lucho à entrada da grande área.

70' Pontapé de Danilo, sem perigo para Gottardi. Foi o 22.º remate do FC Porto.

67' Remate de Diego Barcellos, a passar ao lado do alvo. Ainda não foi desta que o Nacional atirou à baliza.

65' Substituição no FC Porto. Saiu Josué e entrou Juan Quintero.

63' Juan Quintero prepara-se para regressar à competição, depois de mais de um mês ausente dos relvados por lesão.

61' Miguel Rodrigues afasta o perigo da grande área, perante a proximidade de Lucho.

59' Cartão amarelo para Herrera, após falta do mexicano, na sequência de uma perda de bola "infantil".

57' Substituição no Nacional. Saiu Candeias e entrou Lucas João. Manuel Machado esgota as alterações antes de Paulo Fonseca ter feito a primeira.

56' Lucho desperdiça! Na sequência de um toque de Jackson, o argentino ficou com tudo para "fuzilar" a baliza, mas acertou mal na bola e atirou ao lado.

55' Remate de Héctor Herrera, desenquadrado com o alvo.

53' Substituição no Nacional. Saiu Rafa e entrou Diego Barcellos.

52' GOLO DO FC PORTO! JACKSON MARTÍNEZ FAZ O 1-0! Bom cruzamento de Danilo, novamente decisivo no ataque, e excelente golpe de cabeça de Jackson Martínez, sem hipóteses de defesa para Gottardi. Um golo que "levantou" Paulo Fonseca.

52' Rafa, do Nacional, pede substituição, por problemas físicos.

50' Substituição no Nacional. Saiu Djaniny e entrou Mateus.

48' Mexer, um "muro" na defesa do Nacional, evita o remate de Jackson Martínez.

47' Jackson falha. O colombiano antecipou-se a Mexer, mas atirou ao lado do alvo.

47' Bom corte de Sequeira, a tirar o "pão da boca" a Varela.

46' Início da segunda parte! Bola para o FC Porto.

45+1' Intervalo no Dragão.

45' Jackson isola-se e passa por Gottardi, mas foi "apanhado" em fora-de-jogo.

44' Josué atira contra um adversário e fica a pedir penálti.

41' Remate de Jackson, que sofre um desvio e passa ao lado do alvo.

40' FC Porto conquista o sétimo pontapé de canto, contra zero do Nacional.

38' Varela falha o cabeceamento, após cruzamento de Danilo.

37' Saída rápida e atenta de Helton, a evitar que João Aurélio ficasse isolado.

35' Cabeceamento de Jackson, na sequência de um canto, sem perigo para Gottardi.

35' Rondón desarma Alex Sandro na grande área, após boa ação de Herrera.

34' Remate de Candeias, sem perigo para Helton.

33' FC Porto muito limitado a jogo interior. O Nacional vai-se adaptando a isso.

30' Josué atira para o fundo das redes, mas o lance estava interrompido por fora-de-jogo de Jackson Martínez.

29' FC Porto está a fazer tudo bem, menos o que realmente importa: finalizar com eficácia.

27' Pontapé de Danilo, sem perigo para o Nacional.

26' Miguel Rodrigues, perante a proximidade de Jackson, afasta o perigo e cede canto.

25' Mexer está irrepreensível no eixo defensivo do Nacional e partilha com Gottardi a responsabilidade pela manutenção do 0-0.

23' Meia primeira parte do melhor que já se viu o FC Porto fazer esta temporada, mas com falta de eficácia gritante.

22' Josué falha o alvo por pouco, com um remate em jeito.

20' FC Porto com 83% de posse de bola no Dragão e nove remates, contra um do Nacional.

19' Pontapé de Lucho, fora da grande área, ao lado do alvo.

18' Remate de Josué, por cima do alvo.

16' Gottardi salva! Duas excelentes defesas do guarda-redes brasileiro: primeiro a remate de Jackson, isolado, e depois a travar a recarga de Varela.

14' Candeias tentava lançar Djaniny, mas Helton foi mais rápido.

12' Ergue-se uma faixa gigante no Dragão, com a frase "só os mais fortes sobrevivem". A dedicatória é, naturalmente, para Pinto da Costa.

11' Gottardi evita o golo! Remate forte de Jackson Martínez, para defesa do guarda-redes brasileiro; na recarga, Lucho queixa-se que foi empurrado na grande área.

9' Varela, muito ativo, faz falta sobre Sequeira, ao segundo poste, após cruzamento de Josué.

8' Varela desperdiça! Lançado por Josué, em posição duvidosa, o extremo português atirou por cima do alvo, quanto tinha tudo para faturar.

8' Pressão asfixiante do FC Porto nos minutos iniciais, com os dragões a colocarem muitas bolas na grande área e a criar vários lances de finalização.

6' Varela quase marcava! Remate do extremo na grande área, que sofre um desvio e passa a centímetros do poste, com Gottardi "batido".

3' Tentativa de remate de Alex Sandro, sem perigo.

3' FC Porto quase marcava! Lance de insistência na grande área, mas nem Lucho, nem Varela conseguiram desviar para a baliza.

3' Tentativa de remate de Varela, muito por cima.

2' Remate de Djaniny, desenquadrado com o alvo.

2' Pinto da Costa assiste à partida na tribuna presidencial.

1' Carlos Xistra apita para o início do jogo! Bola para o Nacional.

FC PORTO: Helton; Danilo, Otamendi, Maicon, Alex Sandro; Fernando, Héctor Herrera, Lucho González; Josué, Silvestre Varela e Jackson Martínez. Suplentes: Fabiano, Diego Reyes, Steven Defour, Carlos Eduardo, Juan Quintero, Ricardo e Licá.

NACIONAL: Gottardi; Zainadine, Miguel Rodrigues, Mexer, Sequeira; Rafa, Claudemir, João Aurélio; Mário Rondon, Daniel Candeias e Djaniny. Outros convocados: Ricardo Batista, Renato, Diogo, Diego Barcellos, Jota, Mateus e Lucas João.

Nem Chelsea, nem Arsenal, nem Manchester United, nem mesmo Benfica: o Nacional da Madeira, adversário deste sábado (20.15) do FC Porto, é o visitante que mais vezes venceu no Dragão. São três os triunfos arrecadados pelos insulares desde 2005, entre eles a maior derrota de sempre no Dragão (4-0 contra o FC Porto de José Couceiro), um registo que levou Paulo Fonseca a considerar a equipa de Manuel Machado uma "besta negra" antes do jogo da 10.ª jornada da I Liga.

Depois de um desolador empate no Restelo, o FC Porto procura fazer as "pazes" com a massa adepta e encontrar, enfim, o caminho para as boas exibições. Paulo Fonseca foi claro, na antevisão à partida, ao afirmar que "se há momento para sentir confiança é este". Os portistas, já sabem, entrarão em campo sob pressão, pois quando Carlos Xistra apitar para o início do jogo já o Benfica (a três pontos da liderança) terá defrontado o Sp. Braga.

Paulo Fonseca não pode contar com Mangala (castigado) e Ghilas (lesionado), depois de uma semana atribulada pela ausência de 10 internacionais ao serviço das respetivas seleções. Manuel Machado, por sua vez, salientou que "é possível tirar pontos" aos tricampeões, embora lamente jogar "numa Liga aos empurrões", tendo em conta que a equipa insular não compete a nível oficial há três semanas. O Nacional, no entanto, surge motivado pela presença no 5.º lugar e pela possibilidade de manter a posição europeia.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG