"No início da época nem o melhor dos otimistas acreditaria"

Técnico portista elogia espírito competitivo da equipa e só lamenta não ter havido um pouco mais de eficácia para vencer em Istambul

"Se pensarmos no início da época, com todas as restrições que tínhamos a nível financeiro, e com a chegada do Sérgio Conceição, nem o melhor dos otimistas ia pensar que nesta altura só dependeríamos de nós para passar para a próxima fase da Liga dos Campeões e que estaríamos em primeiro lugar no campeonato. É de louvar. Grande parte do mérito vai para os jogadores, que acreditam verdadeiramente e que têm uma ambição e determinação e espírito competitivo que me agrada muito", afirmou o treinador portista, Sérgio Conceição, no final do encontro desta terça-feira em Istambul, onde o FC Porto empatou com o Besiktas, a contar para a Liga dos Campeões, garantindo pelo menos a continuidade nas provas europeias e ficando a depender apenas de se próprio para passar aos oitavos de final da liga milionária.

"Mentiria se não dissesse que o resultado não me deixa satisfeito. Fizemos um jogo consistente, principalmente na primeira parte. Em termos estratégicos, o jogo foi preparado da melhor maneira e os jogadores interpretaram da melhor maneira o que se queria a nível defensivo para depois explorar algumas debilidades do Besiktas", começou por explicar, na flash-interview da RTP.

"Fizemos o golo, tivemos uma oportunidade para o Aboubakar fazer o 2-0 antes de sofrermos o golo, com mérito do adversário e alguma falta de agressividade e precipitação nossa. A primeira parte é de grande qualidade. No início da segunda parte, o Besiktas entrou muito forte. Na segunda parte, conseguiram criar uma pressão forte sobre nós, numa ou outra vez fomos algo precipitados na forma como podíamos e devíamos sair para o ataque. Perdemos algumas bolas nesse início de transição da defesa para o ataque e o Besiktas aproveitou. A partir dos 60 minutos, quando o Ricardo falha aquela oportunidade, o jogo foi muito equilibrado. O resultado ajusta-se, se fôssemos mais eficazes em momentos como a situação do Aboubakar ou do Ricardo, podíamos ser ainda mais felizes", disse, rebobinando o filme do jogo.

Sérgio Conceição não quis individualizar a análise aos jogadores, quando questionado sobre a boa exibição do guarda-redes José Sá. "Não quero abordar muito esse tema nem falar individualmente, porque teria de falar na grande exibição do Sérgio Oliveira ou do Maxi Pereira. Toda a equipa teve um bom comportamento. Não é fácil jogar num estádio destes nem contra uma equipa que tem cinco vezes mais o orçamento que nós, a par do Leipzig e do Mónaco."

De resto, explicou a decisão de manter Sérgio Oliveira e Maxi Pereira em campo, apesar de terem visto o cartão amarelo: "Estamos a falar de dois jogadores que, apesar de terem levado amarelo, têm alguma experiência, e sabem como gerir a situação. Não ia mexer, porque o Maxi estava muito bem no jogo e ao adaptar o Ricardo ia mexer em duas posições. O Sérgio não jogava há três jogos, deu uma resposta fantástica, o Maxi também não jogava há algum tempo, e quando entram entram muito bem."

Mais Notícias

Outras Notícias GMG